Ocorreu um erro neste dispositivo

Espinho vs Terras de Bouro.

17/06/12




Detalhes
Temporização
Tempo:5:08:22
Tempo Movimt.:5:07:51
Elapsed Time:5:10:24
Veloc. Média:27.7 km/h
Avg Moving Speed:27.8 km/h
Veloc. Máxima:58.2 km/h
Velocidade
Cadência
Elevação
Ganho de elevação:1,813 m
Perda de elevação:1,828 m
Elevação mín.:31 m
Elevação máx.:576 m
Ritmo Cardíaco
RC méd.:132 bpm
RC máx.:163 bpm
Training Effect  :3.4


Alguns de vós terão estranhado a minha ausência na prova deste fim de semana em Espinho. Na realidade, apetece-me dizer que também eu. Mas, a verdade é que apesar de inscrito pelo meu paciente clube Fonte Grada, fui forçado a cancelar a minha participação por força duma lesão, imaginem onde. Desta feita, uma tensão forte na zona mio-tendinosa direita levou-me ao estaleiro vai para duas difíceis semanas. A idade e o futebol do passado, com sucessivas roturas e zonas fibrosadas, explicam a dificuldade maior em recuperar de coisas simples como esta.  Logo num momento em que me iniciava na preparação específica para correr a 4'/km para uma distância de 5 mil metros, o meu grande objectivo na corrida. Não deu e fui forçado a mudar de planos. Claro que a motivação foi-se abaixo por algum tempo, mas está de volta. Aliás, a renúncia consciente à participação no campeonato do mundo de longa distância, em Vitoria- Gasteiz, também deixou marcas e tudo junto ajudou a algum esmorecimento. Não gostei de abdicar desse objectivo, mas há forças que nós temos de controlar, caso contrário deixamos-nos controlar por elas e isso não pode acontecer. Há mais marés que marinheiros.
Assim, em vez de Espinho, apontei para um treino longo de ciclismo, para perfazer pela terceira vez um percurso exigente e ao mesmo tempo muito bonito: casa, Terras de Bouro, Amares, Barcelos, casa. A despeito da sua exigência, a volta é magnífica e que ajuda à superação dos momentos de algum sacrifício. Por outro lado, proporciona um treino muito completo e que eu recomendo. Hoje fiquei com a noção do que na realidade terei evoluído desde a primeira vez que o percorri, caso contrário não teria  conseguido retirar cerca de 30' hoje e entre 15' e 20' à segunda vez. Assim como a sensação de melhor-estar no final, mas também durante os quilómetros finais do trajecto, são igualmente um bom indicador de que o corpo se encontra hoje melhor preparado para estes esforços do que há três anos a esta parte, altura em que  certos "corpos cetónicos" fizeram estragos na fisiologia deste personagem. Ah! e sem graves problemas na planta do pé esquerdo, onde já gani a bom ganir por estas estradas. A velhice é ....
Amanhã também estava previsto a participação na clássica ciclista Póvoa/Castelo de Paiva, mas a realidade pura e dura é que o tempo não está para despesas, sejam elas pequenas ou grandes. Como costuma dizer uma familiar minha, "temos pena" e há que ser realista e esperar que o futuro proporcione o alcance destes e de outros objectivos. 

Agora, há que recuperar o prazer da corrida a pé para poder continuar a ser...livre.

Oxalá Espinho tenha sido um excelente momento desportivo. Abraços triatléticos, companheiros.

3 comentários:

Pedro Reis disse...

Estranhei sim, João. Bem que olhei para a placa do Fonte Grada no PT. Fica para a próxima.
Votos de uma rápida recuperação.

joao rita disse...

"...em que me iniciava na preparação específica para correr a 4'/km para uma distância de 5 mil metros..."

É pá vai um pouco mais devagar, senão o PDI ...

"..onde já gani a bom ganir por estas estradas. A velhice é ...."

Um abraço
http://www.estremoztriatlo.blogspot.pt/

Bluewater68 disse...

Eu tenho andado às voltas da minha perna esquerda. Dor do lado externo do joelho, pontada do lado interno e dor na parte inferior dos gémeos. Em princípio será apenas uma questão inflamatória, mas amanhã farei ecografia e ficarei a saber se haverá algo mais. Isto fez-me falhar Peniche, deu para ir a Oeiras cheio de receio e a poupar-me, e fico sem saber se dará para ir a Vila Viçosa. Sem conseguir correr em condições e sem receios, o melhor é não ir.
Isto é um desporto fantástico, altamente viciante. O problema é que exige muito treino. E quanto mais se treina, mais sujeitos estamos a lesionar. Depois é tentar saber o que causou o quê. No meu caso, a dor do lado externo do joelho terá ficado a dever-se a ângulo incorrecto da peça de encaixe no pedal. Já alterei isso, já pedalo de forma diferente e a dor passou.
«a velhice é ...». Bem, com o passar dos anos o corpo vai tendo mais dificuldade em responder aos desafios. Mas também, fará sentido mencionar «velhice» quando se consegue correr a 4:00min/Km? Tomaram muitos jovens :)
Votos de rápidas melhoras. Os desafios que não puderam ser agora ultrapassados, certamente que serão depois substituídos por outros, com desempenhos ao mais alto nível.