Ocorreu um erro neste dispositivo

Torino World Masters Games 2013

17/10/12




Em período de entrada no que irá ser o ano mais difícil de sempre da nossa democracia, anunciar aqui o evento supra citado parece ser uma ironia. Mas não é. Eu tinha projectado uma eventual participação neste evento, após a experiência recolhida em Lignano. Hoje, o mais certo é esquecer, mas um dia de cada vez. O certo é que o programa é muito aliciante e no contexto do triatlo há dois eventos que sobressaem: o duatlo e triatlo sprint. Para mais, estão igualmente previstas as provas de ciclismo e dentro destas a variante XCO. Assim como o inevitável programa para o atletismo e com imensas possibilidades de participação. 

Em suma: num evento programado para o período compreendido entre os dias 2 e 11 de Agosto, em pleno gozo de férias da maioria dos eventuais participantes, o programa é muito aliciante, assim como a cidade acolhedora.

Deixo-vos o link do evento onde poderão consultar toda a informação disponível.


Companheiros, abraços triatléticos e procurem ser felizes.



Treino Proprioceptivo!

12/10/12




A minha última aquisição para prevenir o aparecimento de lesões no trem inferior. Acima de tudo promove a tonicidade e a sensibilidade muscular, tendinosa, ligamentar e igualmente óssea. Fortalece a musculatura inferior, o equilíbrio, as variações de tensão muscular e demais estruturas. Igualmente um meio diversificado de treino nos aspectos referidos. Por 30 € numa loja daquela cadeia de supermercados alemã, cujas cores são amarela e azul, não sei se estão a ver... 

O objectivo é aquele que referi. As garantias...veremos. Mas eu tenho fé. De certeza que me irá ajudar de algum modo.

Abraços triatléticos, companheiros.


"Estágio" na Beira: Conclusões!

09/10/12



Percurso BTT em Tábua


Estava afastado de imaginar que este meu regresso a Tábua se revelasse uma espécie de estágio de preparação nesta fase do meu regresso às lides. Parece afastada a crise de motivação, parece afastada a inércia, está de volta o desejo de competir, ainda não está completamente debelada a lesão nos gémeos (fica assim só para simplificar, porque explicar pormenores é quebra-cabeças), mas o regresso à corrida estará para breve, acredito.
Aproveitando o fim de semana grande e indo mais as minhas "meninas" apenas, previa-se dedicação ao treino e igualmente às tarefas agrícolas, outro dos meu prazeres na ocupação dos tempos livres, acabei por beneficiar de um tempo magnífico, a duvidar se o verão terá de facto ido de vez, facto que aproveitei para voltar a nadar em águas abertas, coisa rara este ano, e voltar aos treinos bi-diários. 
A minha incursão pelo fora de estrada é daqueles impulsos que a avançar só mesmo contrariando princípios básicos. Razões? falta de companhia e desconhecimento completo dos trilhos, levou-me a fazê-lo só. Tal como a natação... A opção foi percorrer os caminhos florestais...e claro! foi fantástico. Pelo menos, este percurso fica marcado.
Altimetria BTT

A natação na barragem da Aguieira já é conhecida, mas a paragem deixou marcas e agora só com tempo se poderá voltar a nadar com alguma dignidade, por assim dizer. Mas deu para umas brincadeiras e acima de tudo respirar aquele ar dos pinheiros e sentir a água ainda temperada, também esverdeada e cada vez mais rara (precisamos de chuva urgentemente), e isso não tem preço.



O melhor resultado, visível, deste estágio foi claramente o regresso aos 70 kgs e o prazer de ter todo o tempo do mundo para fazer o que se gosta. O lado triste foi o desaparecimento da minha querida Tia (a última de 7 irmãos) que nos deixou após 88 anos de vida intensa. Um beijo para ti.

Companheiros, isto já anda a rolar e aquela "coisa" já mexe cá de dentro. Ah! carago.
Abraços triatléticos.



Ares da Serra!

06/10/12




Não, ainda não foi desta que virei à Torre: Está marcada, como o destino. Falta tão só agendar. Não, desta feita fui cumprir uma daquelas coisas que se nos entranham na cabeça e não saem até que o corpo sofra as consequências de tal teimosia. Não foi à Torre, mas calcorreei-lhe os calcanhares. Há por ali uma subida, longa, 10% de inclinação, cerca de 15? 20? kms...por aí, mas que nos moem os músculos e desafiam a paciência, tenacidade, perseverança. Dado o actual estado das coisas, não foi fácil. No regresso a Tábua, recordei os corpos cetónicos. A fase é recomeço, daí que este confronto era inevitável. Não é bem empeno, antes desconforto. A determinada altura, já não há posição. A paisagem é colossal! Vale bem a pena a teimosia. Mas, isto por estas bandas não tem meio termo: sobe e desce, de vez em quando lá vem umas rectas, mas é sol de pouca dura. O normal é aquilo mesmo. O trânsito pouco, excepção só mesmo na estrada da Beira, a famosa. De resto, é quase sempre nós e a mãe natureza. Fabuloso.

Este ano que aí vem pode ser tempo de mudanças e bem pode acontecer que todos estes trajectos se tornem rotineiros.

Companheiros, até breve.