Ocorreu um erro neste dispositivo

Feliz Natal!

22/12/12





Eu não me atrevia a entrar naquela água. O resto, enfim...mas a natação...brrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrr!

Votos de um Santo Natal, companheiros.

Abraços natalícios.


2012 em Retrospectiva.

19/12/12





Curso de Grau I 2013 e a Aposta na Formação!

16/12/12



Foi recentemente anunciada pela recentemente empossada equipa federativa que uma das suas apostas em termos de política desportiva seria na dimensão formativa. Entendi portanto que o investimento das energias humanas e financeiras iria ser mais significativamente canalizado para os escalões mais jovens, como qualquer mortal pensaria. Ora, não se pode pensar em formação de jovens praticantes, seja em que modalidade for, se não se pensar antes na formação dos seus agentes formativos. Isto é, posso desejar muito ter cada vez mais jovens a praticar seja que modalidade quisermos considerar, para deles retirar melhores praticantes, mas se não se investir em treinadores, de preferência mais e melhor preparados, não adianta nada desejar a primeira.
A recente divulgação do calendário formativo de treinadores de grau I, de acordo com as premissas da nova lei que regulamenta a atribuição de cédula de treinador, vem provar que afinal a aposta na expansão da modalidade ao nível da formação é...uma treta! Na realidade, um curso de treinadores que se restrinja apenas a Lisboa é extremamente limitador para qualquer interessado que se situe acima do rio Mondego ou abaixo de Grândola, no mínimo. E refiro-me apenas ao litoral, porque se me alargar para o interior...ou ilhas...
Vale a pena atentar um pouco nisto; deverá continuar a ser canalizada a aposta formativa exclusivamente nos potenciais agentes da modalidade em redor da capital? Qual a distribuição geográfica nacional dos clubes com formação na modalidade? Porque a modalidade não cresce tão significativamente fora da grande Lisboa, em clubes e praticantes? 
Definitivamente, o novo cronograma do curso de treinadores de triatlo de grau I não atende ao crescimento real da modalidade no território nacional. E ainda tem outros pecados, como o tipo de carga horária (acabar às 18h30 de Domingo, para quem tenha de fazer acima de 300kms de viagem!... e corresponder cedo às exigências da real profissão) e o custo de vida actual. 

Acabo com  uma observação; recentemente estive atento aos resultados desportivos no atletismo do campeonato nacional de desporto universitário. Estranhamente ou não, os lugares cimeiros na maioria dos escalões foram ocupados por atletas do norte.

Companheiros, abraços triatléticos.




FTP: Campeonato Nacional Jovem de Clubes

14/12/12



CAMPEONATO NACIONAL JOVEM DE CLUBES
ETAPA
DATA
PROVA
TIPOLOGIA
1
Sábado, 9 de Fevereiro
Duatlo Jovem das Lezírias
Duatlo
2
Domingo, 17 de Fevereiro
Duatlo Jovem de Grândola
Duatlo
3
Domingo, 10 de Março
Duatlo Jovem de Ourém
Duatlo
4
Sábado, 13 de Abril
Triatlo Jovem da Amora
Triatlo
5
Sábado, 20 de Abril
Duatlo Jovem da Madeira
Duatlo
6
Domingo, 5 de Maio
Aquatlo Jovem de Setúbal
Aquatlo
7
Domingo, 12 de Maio
Aquatlo Jovem de Ílhavo
Aquatlo
8
Sábado, 18 de Maio
Triatlo Jovem de Aveiro
Triatlo
9
Segunda-feira, 10 de Junho
Aquatlo Jovem de Coruche
Aquatlo
10
Sábado, 29 de Julho
Triatlo Jovem de Abrantes
Triatlo
11
Sábado, 6 de Julho
Aquatlo Jovem de Pedorido
Aquatlo
12
Sábado, 27 de Julho
Triatlo Jovem de Esposende
Triatlo
13
Sábado, 14 de Setembro
Triatlo Jovem de Vendas Novas - Estafetas
Triatlo












Bom, isto anda assim às pinguinhas, mas anda...A FTP divulga o Campeonato Nacional Jovem de Clubes, no seu site. Para registar. Mais tarde explicarei, com dados objectivos e informações seguras.

Abraços triatleticos.


Calendário Campeonatos Nacionais Individuais Absolutos - Triatlo/Duatlo/Aquatlo



CAMPEONATOS NACIONAIS INDIVIDUAIS ABSOLUTOS
PROVA
DATA
PROVA
DISTÂNCIA
C.N. Duatlo
Domingo, 14 de Abril
Duatlo de Torres Vedras
Standard
C.N. Triatlo.1
Domingo, 28 de Abril
Triatlo do Estoril
Olímpica
C.N. Triatlo.2
Sábado, 7 de Setembro
Triatlo de Aveiro
Olímpica
C.N. Triatlo.3
Domingo, 6 de Outubro
Triatlo de Lisboa
Olímpica
C.N. Triatlo Longo.1
Domingo, 21 de Abril
Triatlo da Laurissilva
Longa, 1.9-90-21Km
C.N. Triatlo Longo.2
Domingo, 19 de Maio
Triatlo Longo de Aveiro (S. Jacinto)
Longa, 1.9-90-21Km
C.N. Triatlo Longo.3
Domingo, 15 de Setembro
A definir
Longa, 1.9-90-21Km
C.N. Aquatlo
Segunda-feira, 10 de Junho (feriado)
Aquatlo de Coruche
Sprint











Toda a informação pode ser consultada no site da FTP.

Abraços triatléticos.


FTP - 1ª prova 2013: 27 de Janeiro!

12/12/12




TAÇA DE PORTUGAL PORterra
ETAPA
DATA
PROVA
DISTÂNCIA
Etapa 1
Domingo, 27 de Janeiro
Duatlo do Jamor
Sprint
Etapa 2
Domingo, 10 de Fevereiro
Duatlo das Lezírias
Sprint
Etapa 3
Domingo, 10 de Março
Duatlo de Ourém
Sprint
Etapa 4
Quinta-Feira, 30 de Maio (feriado)
Aquabike de Castanheira de Pera
Sprint
Etapa 5
Sábado, 21 de Setembro
Duatlo de Abrantes
Sprint
Etapa 6
Domingo, 22 de Setembro
Triatlo de Gavião
Sprint
Etapa 7
Domingo, 29 de Setembro
Triatlo de Vila Nova de Cerveira
Sprint
Etapa 8
Domingo, 20 de Outubro
Duatlo Festival Bike (Santarém)
Sprint
Etapa 9
Domingo, 27 de Outubro
Duatlo de Estremoz
Longo










A Federação apresenta no seu site o calendário programa para a Taça de Portugal PORterra. Para 27 de Janeiro está agendada o tiro de partida para uma nova época. Gostava de estar na linha de partida da primeira prova, mas isto anda novamente do avesso.

Abraços triatléticos.


Profissional VS Amador

07/12/12







Este vídeo, que tive o grato prazer de conhecer esta semana através do facebook por uma série de trocas de informação entre amigos daquele contexto, é a prova provada das diferenças claras entre uma actividade profissional e uma actividade amadora, seja em que contexto for. Ian Frodeno demonstra que para além dos  horários, para além das cargas, para além da logística, para além dos meios, do staf, o que é mesmo imprescindível é a disponibilidade física e mental para a coisa, fazendo dela uma verdadeira profissão, uma especialidade, como o é o pedreiro, o mecânico, o médico, o engenheiro, o professor, por aí fora. Demonstra também que não é profissional quem quer; é preciso estar na posse de outras qualidades, de algumas especificidades a que só os predestinados têm acesso, e aqui incluo igualmente a capacidade de trabalho.

Profissionalismo a 100%. Digam lá que não dá vontade de saltar para um nível assim? 

Companheiros, abraços triatléticos.


Novos Hábitos, Nova Corrida?

02/12/12



Treino 2 Dezembro

2ª feira passada apanhei um susto. Na corrida, claro. Há cerca de um mês que o segmento tem estado a funcionar bem. Com calma e progressivamente. Tanto assim que até já me inscrevi na primeira prova de corrida a pé após debelar a lesão que me afastou 5 meses! dos asfaltos, dos passadiços, de muita coisa que me faz falta. Mas, uma dor irradiante obrigou-me a cessar a sessão de treino após 12 minutos e pouco. Não há margem para arriscar. Vi logo o caso negro, precisamente quando  me encontro apostado em não preterir nada daquilo que é importante para que 2013 seja um ano diferente do que agora está prestes a terminar, mas também para conseguir o propósito de iniciar a época no...início. Só aconteceu em 2009 e por pouco tempo. 
O certo é que três sessões de retorno aos cuidados do amigo Diogo Cardoso, o mesmo é dizer à fisioterapia, deram-me a sensação de que afinal desta vez poderá ter sido apenas um susto. Porém, a fisioterapia é para continuar. E aproveito a oportunidade para falar da corrida, a minha, porque aqui tinha deixado a promessa de o fazer, em resultado de algumas alterações que venho produzindo e que acredito possam dar resultado. Sou mesmo uma pessoa com fé.

A reentrada da corrida nas rotinas de treino tem sido feita paulatinamente. Isto é, todas as semanas tenho acrescentado 5' de corrida contínua. Sem grandes preocupações com ritmos, a não ser em função da disposição do momento. Quer dizer, se o corpo pede um pouco mais, eu dou-lhe liberdade para ir. Sem exageros. O certo é que já cheguei a fazer kms a 4'20! Ops! Exagerar? Pois. Não posso. 
Voltando; iniciei este meu retorno à corrida com 15'. Preparava-me esta semana para entrar nos 45'. Nem sempre, mas pelo menos 2 sessões na semana. Fica adiado. Hoje regressei à meia-hora e o teste correu bem, portanto talvez lá para o meio da próxima retome o plano onde ele estava. 
Outro dos hábitos que introduzi foi a sauna. E muito bem me tem feito. Tinha alguns preconceitos com a sauna, mas também julgava não valer a pena dispensar tempo para mariquices dessas. Engano. O efeito desoxidante,  anti-inflamatório, relaxante, tanto ao nível esquelético como linfático, entre outros, pode ser muito benéfico, em especial no meu caso que sofro de artrite reumatóide  Para mais na época de frio, com a qual não costumo dar-me particularmente bem quando em exercitação.
Outro dos hábitos introduzidos foi eliminar quase na totalidade a ingestão das chamadas carnes vermelhas, preterida pela carne de aves (peru e frango, especialmente). O poder tóxico e inflamatório das primeiras poderá contribuir para uma maior facilitação do aparecimento dos focos inflamatórios a nível esquelético, razão praticamente única das minhas queixas. 
Um outro hábito que alterei tem a ver com a ingestão do leite de vaca. Substituí pelo leite de soja. Também pelos motivos já referidos. 
Um dos hábitos que ainda não consegui alterar tem a ver com as guloseimas, especialmente o chocolate, bolos e afins. Tenho reduzido, mas precisava de retirar por completo. Esta tarefa é ciclópica porque eu sou um viciado.

Não posso dizer com propriedade que todas estas alterações estejam a produzir efeito. Seria necessário isolar cada um dos factores. Um processo assim levar-me-ia demasiado tempo e poderia nem sequer chegar a uma conclusão definitiva. Seja como for, o processo está em marcha e quando chegar ao final de 2013 poderei estar preparado para algumas conclusões, então.

Companheiros, abraços triatléticos.



Novos Ares na F.T.P.

25/11/12





Este fim de semana foi particularmente especial para o triatlo devido às eleições que tiveram lugar e com a consequente mudança de liderança que o seu resultado provocou. Em ano de início de novo ciclo olímpico será natural que assim seja, mas também porque vivemos numa sociedade que escolheu viver segundo as regras próprias de um processo democrático e como tal nada melhor que auscultar as diferentes sensibilidades da família triatlo para que se regenere energias, ideias, projectos, programas, mas também procedimentos, rotinas.
Chegado à modalidade há demasiado pouco tempo para ter uma opinião livre dos arquétipos passados, passe a redundância, mas também por estar envolvido em outros processos pessoais importantes para os tempos que se avizinham, não irei opinar sobre os resultados das eleições. Nunca fui dirigente, nem outra coisa estatutária para além de atleta licenciado. Por isso, aproveito para saudar a equipa que irá liderar os destinos da federação da modalidade e desejar que tenha o maior sucesso na implementação dos seus ideais, o mesmo será dizer do seu programa de acção. E igualmente que estes estejam de acordo com a tradição recente do trabalho federativo no que à promoção e caracterização da modalidade diz respeito, cujos ganhos recentes não podem, não devem, ser depauperados, seja por que via for. Mas principalmente, no mínimo, respeitar os esforços desencadeados no plano nacional de formação, onde tudo acontece e donde todos nós, enquanto portugueses, só poderemos vir a beneficiar. 
É verdade que enquanto participante nos quadros competitivos da modalidade nem sempre me considerei satisfeito com pormenores. Entendo isso como natural. O que posso afirmar é que em termos gerais a Federação granjeou uma imagem de grande credibilidade, que pode ser constatada especialmente junto daqueles que pontualmente participaram nas competições por si organizadas. Então, saúdo igualmente todos aqueles que emprestaram o seu esforço à elevação dos níveis qualitativos referidos e que agora cessam as suas funções. Sei que poderá não se agilizar fácil, mas seria de todo importante que todos contribuíssem para que o triatlo se elevasse, como acredito que o fará. Neste aspecto, estou de mãos dadas com Pedro Pinheiro; é tempo de conciliação. Porque estes não são fáceis e desenganem-se aqueles que pensam que o tempo continua igualzinho a si mesmo. A tarefa não vai ser nada fácil, para todas as federações e para todos os que têm de conduzir os destinos das suas associações, federações, comunidades, etc. e por esse facto admiro a coragem de todos quantos se projectam para os cargos de liderança.

Por dever a mim próprio, um facto já constatado não me agradou: a suspensão dos cursos de grau I e II da federação. Não que a mim me afecte, antes pelo contrário. Até me pode ajudar por estar neste momento envolvido noutro processo formativo. Mas, acções como estas, estruturantes para a modalidade, não podem estar sujeitas a resultados eleitorais. Este processo formativo dos agentes que no terreno irão ser os operacionais da evolução do triatlo enquanto modalidade desportiva, tem de ser autónomo e ser transversal às candidaturas e aos candidatos.

Companheiros, Viva o triatlo!



Não Há Condições!

14/11/12



Vista do alto do Monte de S. Tegra, La Guarda.
Impossibilitado de realizar treinos longos aos fins de semana durante os próximos tempos, por força da mais recente dedicação à formação, resta-me as 4ª feiras para dar asas à minha liberdade individual e assim poder fazer um desses "passeios maricas". 
Estava acertado comigo mesmo, sem grandes discussões, desta feita, que hoje era a vez de finalmente repetir um treino já concretizado com Pedro Brandão; saída de casa e visita ao Monte de Santa Tegra ou Tecla ou o catano, em La Guardia, na Galiza, percorrendo uma estrada magnifica (piso e paisagem). Aliás, passado ao largo de Moledo e Vila Praia de Âncora, deparei-me com uma formação magnifica para a prática do surf. E estou a referir-me a ondas bem grandes. Avance-se.
Aqui há algum tempo havia concretizado um treino até Vila Nova de Cerveira e na altura as 4 horas do percurso deixaram-me meio empenado. Mas hoje as coisas já estão melhores e perfiz os 152 kms em 5 horas e 22 minutos, o que me deixou bastante satisfeito. Sem mazelas! Isto é, disponível para acabar o dia com uma nova sessão de corrida. Sobre a corrida, hei-de falar lá mais para a frente. Tenho algumas novidades, eventualmente. 
Uma das perspectivas do Monte
Ora, o que não estava nada à espera era dum estranho e súbito ruído, para além da telefonia do telefone, meu companheiro musical de viagem imprescindível quando em solitário. Mesmo antes de me fazer aos 4 kms de escalada ao Monte de Santa Tecla. Lá examinei a coisa e constatei que tinha o quadro da bicla partido! Pensamento imediato; mas será que de cada vez que me faço à estrada para um longo percurso tenho uma surpresa deste género? Isto será macumba, voodoo ou o caraças? Que mer...!
Ali...

Bom, liguei para a mulher só mesmo para confirmar que estava a trabalhar! Já sabia que não poderia contar com ela, hoje. Lembrei-me da loja das biclas e lembrei-me de voltar a examinar a coisa; dava para voltar a encaixar o braço partido. Vamos experimentar. Chia! Paro. Volto a tentar e a coisa lá vai, subindo o famoso monte. 
Almoço à moda galega; se isto não é qualidade de vida...
Lá de cima a paisagem é fenomenal. Hoje não me foi difícil subir aquela coisa. Fez-se bem, sem dificuldades de maior. Recordo-me da primeira vez que lá fui, na companhia do pessoal da tal loja de bicicletas. Mas aquilo era um grupo com outros objectivos. Preferiram atravessar o rio de ferry. O certo é que na altura pareceu-me um desafio...desafiante. Hoje sinto-o mais uma pequena dificuldade. Amanhã não sei como será.
Havia que ir até lá ao fundo, para depois...
Depois do reforço de um empanado, uma cola e duma paisagem deslumbrante, estava na hora de voltar e ver até onde me levaria a burra. Lá fomos.
Cedo deu para perceber que a chiadeira não me iria largar. O que eu também não podia de modo algum largar era o avançado. Parecia aqueles fãs do Quim Barreiros a dançar os peitos da cabritinha. Uma cabrita daria eu se não tivesse cuidado. Mas, em frente a bicla até andava e eu só tinha mais 70 kms para chegar a casa sem ter de chatear ninguém.
Caminha esperava-me.

E as diferentes localidades foram passando, chegando finalmente a casa, com o objectivo cumprido e mais; sem me ter demorado muito. 
Registo Vila Praia de Âncora, onde deve ser muito agradável viver, com aquele mar de batida forte, uma nebulosidade misteriosa e meio luminosa, cativante mesmo, onde se respira tranquilidade...não é a primeira vez que lá passando se apodera de mim esta sensação.

Companheiros, abraços triatléticos.




Triatlo Olímpico: Uma Mentira?

06/11/12




Este assunto que aqui vos trago já tem barbas na minha cabeça. Ou será teias de aranha? O certo é que após ter assistido ao enorme espectáculo que foi a competição olímpica de Londres 2012, fiquei com a sensação de que alguma injustiça, no mínimo, transpareceu no rescaldo do segmento de ciclismo. Tudo por culpa de um formato - o formato do triatlo olímpico. Passo a especificar.
Na realidade, se considerarmos, em termos comparativos, a atitude competitiva dos irmãos Brownlee, e acima de tudo de entre eles o Alistair, com a de outros, quase todos os outros atletas, constatamos que a postura competitiva de ataque constante no segmento de ciclismo não lhes trouxe nada de vantajoso. Ao invés, trouxe-lhes certamente maior desgaste, que embora não se tenha notado em particular, certamente ter-se-á verificado. De outro modo, constatámos todos que os diversos grupos, três grandes grupos, acabaram por beneficiar de um esforço colectivo para se agruparem e do qual acabou por resultar apenas dois grandes grupos, essencialmente. Primeira conclusão; andar na roda pode ser uma estratégia vantajosa em termos de gestão do esforço e da qual se poderá beneficiar mais tarde. 
Ora, o segmento de ciclismo representou, em termos gerais, cerca de 63% do tempo de competição (os triatletas demoraram cerca de 60 minutos - um pouco menos os melhores classificados- a perfazer os 40 kms do segmento em análise; a natação representou cerca de 18% e a corrida cerca de 32%). Todos aqueles que se reservaram no pelotão, concerteza beneficiaram da sua atitude mais conservadora. Bom, se compararmos com o triatlo no formato longo, onde não é permitido o drafting, concluo que há incomparavelmente mais verdade desportiva numa competição onde a génese da modalidade é melhor defendida, do que num formato do tipo olímpico.
Compreendo que na ideia de promoção da modalidade se tenha considerado esta solução para o triatlo olímpico. Porém, creio que hoje por hoje o público em geral está melhor informado e mais familiarizado com as características específicas que a modalidade triatlo, enquanto desporto, encerra. Não será por acaso que as competições no formato ironman atraem cada vez mais adeptos e espectadores, donde sobressai a final do campeonato do mundo na bela ilha de Kona, no estado americano do Hawai.
Para mim, enquanto espectador amante do triatlo, é-me confrangedor assistir a uma competição no formato olímpico onde o ciclismo não consegue constituir-se como segmento de selecção de valores, para mais quando representa a maior tempo de competição dos atletas. Mais, penso mesmo que o ciclismo (será mesmo ciclismo?) nem se encontra representado neste formato, sendo mesmo o parente pobre dos três segmentos. 

Companheiros, abraços triatléticos.


Torino World Masters Games 2013

17/10/12




Em período de entrada no que irá ser o ano mais difícil de sempre da nossa democracia, anunciar aqui o evento supra citado parece ser uma ironia. Mas não é. Eu tinha projectado uma eventual participação neste evento, após a experiência recolhida em Lignano. Hoje, o mais certo é esquecer, mas um dia de cada vez. O certo é que o programa é muito aliciante e no contexto do triatlo há dois eventos que sobressaem: o duatlo e triatlo sprint. Para mais, estão igualmente previstas as provas de ciclismo e dentro destas a variante XCO. Assim como o inevitável programa para o atletismo e com imensas possibilidades de participação. 

Em suma: num evento programado para o período compreendido entre os dias 2 e 11 de Agosto, em pleno gozo de férias da maioria dos eventuais participantes, o programa é muito aliciante, assim como a cidade acolhedora.

Deixo-vos o link do evento onde poderão consultar toda a informação disponível.


Companheiros, abraços triatléticos e procurem ser felizes.



Treino Proprioceptivo!

12/10/12




A minha última aquisição para prevenir o aparecimento de lesões no trem inferior. Acima de tudo promove a tonicidade e a sensibilidade muscular, tendinosa, ligamentar e igualmente óssea. Fortalece a musculatura inferior, o equilíbrio, as variações de tensão muscular e demais estruturas. Igualmente um meio diversificado de treino nos aspectos referidos. Por 30 € numa loja daquela cadeia de supermercados alemã, cujas cores são amarela e azul, não sei se estão a ver... 

O objectivo é aquele que referi. As garantias...veremos. Mas eu tenho fé. De certeza que me irá ajudar de algum modo.

Abraços triatléticos, companheiros.


"Estágio" na Beira: Conclusões!

09/10/12



Percurso BTT em Tábua


Estava afastado de imaginar que este meu regresso a Tábua se revelasse uma espécie de estágio de preparação nesta fase do meu regresso às lides. Parece afastada a crise de motivação, parece afastada a inércia, está de volta o desejo de competir, ainda não está completamente debelada a lesão nos gémeos (fica assim só para simplificar, porque explicar pormenores é quebra-cabeças), mas o regresso à corrida estará para breve, acredito.
Aproveitando o fim de semana grande e indo mais as minhas "meninas" apenas, previa-se dedicação ao treino e igualmente às tarefas agrícolas, outro dos meu prazeres na ocupação dos tempos livres, acabei por beneficiar de um tempo magnífico, a duvidar se o verão terá de facto ido de vez, facto que aproveitei para voltar a nadar em águas abertas, coisa rara este ano, e voltar aos treinos bi-diários. 
A minha incursão pelo fora de estrada é daqueles impulsos que a avançar só mesmo contrariando princípios básicos. Razões? falta de companhia e desconhecimento completo dos trilhos, levou-me a fazê-lo só. Tal como a natação... A opção foi percorrer os caminhos florestais...e claro! foi fantástico. Pelo menos, este percurso fica marcado.
Altimetria BTT

A natação na barragem da Aguieira já é conhecida, mas a paragem deixou marcas e agora só com tempo se poderá voltar a nadar com alguma dignidade, por assim dizer. Mas deu para umas brincadeiras e acima de tudo respirar aquele ar dos pinheiros e sentir a água ainda temperada, também esverdeada e cada vez mais rara (precisamos de chuva urgentemente), e isso não tem preço.



O melhor resultado, visível, deste estágio foi claramente o regresso aos 70 kgs e o prazer de ter todo o tempo do mundo para fazer o que se gosta. O lado triste foi o desaparecimento da minha querida Tia (a última de 7 irmãos) que nos deixou após 88 anos de vida intensa. Um beijo para ti.

Companheiros, isto já anda a rolar e aquela "coisa" já mexe cá de dentro. Ah! carago.
Abraços triatléticos.



Ares da Serra!

06/10/12




Não, ainda não foi desta que virei à Torre: Está marcada, como o destino. Falta tão só agendar. Não, desta feita fui cumprir uma daquelas coisas que se nos entranham na cabeça e não saem até que o corpo sofra as consequências de tal teimosia. Não foi à Torre, mas calcorreei-lhe os calcanhares. Há por ali uma subida, longa, 10% de inclinação, cerca de 15? 20? kms...por aí, mas que nos moem os músculos e desafiam a paciência, tenacidade, perseverança. Dado o actual estado das coisas, não foi fácil. No regresso a Tábua, recordei os corpos cetónicos. A fase é recomeço, daí que este confronto era inevitável. Não é bem empeno, antes desconforto. A determinada altura, já não há posição. A paisagem é colossal! Vale bem a pena a teimosia. Mas, isto por estas bandas não tem meio termo: sobe e desce, de vez em quando lá vem umas rectas, mas é sol de pouca dura. O normal é aquilo mesmo. O trânsito pouco, excepção só mesmo na estrada da Beira, a famosa. De resto, é quase sempre nós e a mãe natureza. Fabuloso.

Este ano que aí vem pode ser tempo de mudanças e bem pode acontecer que todos estes trajectos se tornem rotineiros.

Companheiros, até breve.





Há quanto tempo!!!

22/09/12




É verdade. Desde aquela vez de finais de Julho, enquanto uns suavam em vez de mim ou por mim ou na minha ausência, no tal campeonato maravilhoso do mundo da distância longa na, pelos vistos, bela cidade basca de Vitória-Gasteiz, eu corava de vergonha num percurso de três voltas do campeonato xco da Associação de Ciclismo do Minho. Sim, corava porque até os primeiros putos do escalão de iniciados me passaram a perna. Enfim. A tareia foi tanta que desde então nunca mais havia pegado naquela "cabra". 
Mas o apetite já havia regressado e hoje foi dia de rever trilhos que como podem constatar entram-me pela porta adentro, tal a provocação a que estou sujeito. Aliás, no fim de semana passado tive outra prova cujo traçado passava tão perto da minha porta que estive à conversa com algum pessoal do metiêr de portão aberto e a ouvir as provocações de alguns conhecidos. Nã! Não estava para outra humilhação mas mais, hoje pude constatar que isto está mesmo no começo, muito embora, meus caros, se se trata de BTT preparem-se!!! porque a cena é dura, muito dura e em competição pura de xco convém mesmo realizar treinos específicos de técnica (os drops metem respeito), resistência, potência, conhecer bem as desmultiplicações certas para os trilhos que irão ser percorridos...Basta um senão para...já foste. E depois há aquela coisa da proprioceptividade, isto é, a sensibilidade muscular ao movimento específico da modalidade, que se adquire fazendo. "Mai nada". 


Mas, hoje estava com saudades. Claro! Uma frequência cardíaca média de 83%, para uma velocidade média de pouco mais de 14 kms/hra, para um acumulado de 838 mtrs, tudo em pouco mais de duas horas. Digamos que uma pequena tareia para quem já não sentia a tremedeira dos braços há tanto tempo. O btt tem para mim uma importância significativa na cena do triatlo porque tenho uma paixãozinha ou zona, não sei ainda bem. pelo X-Terra, dentro da modalidade. Não tenho feito nada de especial, é bem verdade. Mas quero estar preparado para quando surgir a oportunidade. Tenho em mente participar num desses campeonatos da Europa. Depois, não me esqueço que o momento em que estive em melhor condição no segmento de ciclismo foi precisamente quando ia fazendo umas maratonas xco.

Uma nota: amanhã terá lugar a Maratona 5 Cumes, Barcelos, um dos maiores cartazes do Minho na modalidade, com um preço muito acessível e valiosos brindes. Acontece que uma vez mais não irei participar. Houve sempre razões, desta vez também as  há e a má condição é quase exclusiva. É que nesta fase, ainda pretendo ser eu o gestor dos meus empenos.  

Seja como for, uma manhã bem passada. Companheiros, abraços triatléticos.




Reflexão XIII

20/09/12




Estou espantado com este blogue! Imagino-me desse lado e não teria certamente a mesma paciência que os leitores e/ou visitantes têm tido para com este meio naíf espaço. Um mês passou desde que manifestei publicamente alguns tópicos da minha reflexão para com a situação de Lance Armstrong, enquanto atleta profissional  (que parece vão deixá-lo voltar à competição-triatlo um destes dias). Desde então terei retornado muito raramente, nas últimas três semanas, nenhuma vez. Que dizer? Sinto uma dívida para convosco, todos aqueles que aqui têm vindo e por isso irei procurar dar ao blogue a atenção devida e merecida. Claro! preparem-se para alguns dos disparates do costume. Não há bela sem senão. 
Mas, não me chega apenas agradecer a vossa boa companhia e estímulo, que o acaba por ser. Devo-vos também uma explicação para esta minha longa ausência. Na realidade, há duas justificações; a primeira é que é tudo mais do mesmo. Isto é, continuo impedido de correr. Mesmo após uma longa paragem, intercalada por algumas tentativas, brevíssimas de 2', nalgumas ocasiões, mas que me deram logo a certeza de que não poderia ir mais longe. Já lá irei. A segunda justificação é que tudo isto me tem tirado a motivação para qualquer coisa que tenha a ver com treino, provas e escrever sobre isso, claro está. Ainda há uma meia terceira justificação; esperava os resultados do conjunto dos exames que entretanto decidi fazer. Sim, reafirmo decidi, porque perante a falta de respostas dos clínicos especializados e não especializados, mas especialmente aqueles, me têm dado, e perante a minha  procura incessante de respostas, fui ter com o médico de recurso e pedi-lhe as requisições para os exames que entretanto julguei poderem ajudar-me. Portanto, já poderia ter escrito sobre isso, mas...adiante.
Conclusões: apenas a ressonância magnética deu uma resposta concreta - ruptura da vertente interna do músculo solear com um infiltrado sero-hemático inter-aponevrótico adjacente ao gémeo interno. Ufa!!! Só que, esta conclusão é de fim de Agosto e a lesão foi contraída em Junho e eu entretanto fiquei curado. Então, perguntarão, porque não corres? Porque entretanto lesionei-me no gémeo esquerdo após duas simples sessões de sorriso estampado no rosto! Será mais uma daquelas contracturas ou eventualmente uma distensão, mas deste lado eu fico mais, como dizer? confiante, porque o problema grande é e será sempre a perna direita e o seu "terço mérdio". 
Este tempo todo de "reclusão desportiva" serviu para isso mesmo que estais a pensar: reflectir sobre o futuro deste declarado oficialmente responsável-mor da dívida soberana do estado português (que outra coisa se poderá concluir das sucessivas taxas com que nos querem premiar por apenas ser funcionário público? mas, não misturemos carnavais).  Os outros exames, a despistagem metabólica, a electromiografia aos segmentos dos membros inferiores deu tudo dentro dos parâmetros normais. E ainda bem. A questão é que vou continuar a estar sujeito a estes amuos musculares. Logo, o problema estava naquela ruptura, facto que a mim não estranhou uma vez que senti na realidade que algo diferente se havia passado. E em resultado dessa reflexão que falava, há na realidade um processo de mentalização sobre as minhas limitações e sobre a resposta do meu organismo, especialmente da parte músculo-esquelética. Custar-me-ia muito por um ponto final. Não o farei, mas velejarei em função do vento que sopre. Por isso, outras consequências desta reflexão terão lugar e a seu tempo darei conhecimento.

Entretanto, a vida continua e recomecei com os processos de treino que havia estagnado na totalidade dos últimos tempos. O mesmo é dizer que para mim já não há época (afinal, alguma vez houve?), mas a minha já começou. Aliás, para aqueles que me seguem no FB, isto agora é só pedal!! É melhor que GPL.

Companheiros, abraços triatléticos e até breve.


Como é, Lance?...

24/08/12




Hoje o mundo do desporto, e em especial o do ciclismo, foi sobressaltado com a notícia da retirada dos títulos alcançados pelo até ontem maior ciclista de todos os tempos, donde sobressaem indiscutivelmente os sete!!! triunfos consecutivos na Volta a França, palco maior do ciclismo mundial. Mais que a consequência da sua compulsiva retirada das competições de ciclismo. 
Para mim, que sempre admirei Lance Armstrong, como qualquer amante do desporto por certo terá admirado, não deixo de pensar no atleta como um dos maiores solistas da modalidade. Não senhor.  Mesmo com substâncias ou não, ele foi sempre um bravo, um perfeccionista, um modelo de competitividade, de garra, luta, vontade de vencer. Porventura, terá sido esta vontade incrível de vencer que o terá feito esquecer que para ganhar não pode valer tudo. Não pode, Lance. Lamento, mas não pode. 
O que realmente me decepcionou em Lance foi não ter ido até ao fim. Como ele demonstrou com a doença que o surpreendeu e que venceu como o enormíssimo guerreiro a que nos habituou, vencedor. Essa capacidade de luta não a demonstrou agora. E quando é afirmado pelo próprio que pretendeu defender a sua família, questiono-me se ela de facto ficou defendida com esta atitude de renúncia ao esclarecimento da verdade. A ideia que  o grande campeão dá é da sua subjugação aos factos ou da sua interpretação. A realidade é que Lance tem sido sucessivamente perseguido pela suspeita, acompanhada esta por dados e/ou evidências indirectas ou testemunhos de ex colegas seus. Relembro aqui a sua proibição na participação em provas de triatlo, precisamente pelos mesmos argumentos que agora o levaram a ser banido do ciclismo de competição. 
Há uma pergunta cuja resposta me parece óbvia: alguém que esteja seguro da sua idoneidade admite perder o maior currículo de sempre do ciclismo mundial a troco da defesa da família por consecutiva suspeição? E quando Lance atira a toalha ao tapete, só pode mesmo permitir que o presidente da AMA conclua aquilo que é permitido concluir; Armstrong encetou a sua mais difícil fuga no ciclismo porque atrás de si correrá a suspeição, sem meta à vista.
A questão do doping é um pouco como aquela questão dos impostos; toda a gente diz que não foge ao fisco, mas de todos aqueles que o fazem, desses só há conhecimento quando são detectados, com todas as consequências que daí decorrem para os demais.
Na vida, como no desporto, o que custa muito, mas muito mesmo é quando descobrimos que afinal foi feita batota. É das piores afrontas à ética do desporto. 

Lembrei-me agora que há um certo cidadão português, refugiado em Inglaterra, que reclama inocência e que para a defender encetou o mesmo tipo de corrida. Há alguém que acredite nele?

Abraços, companheiros.


Tempos Dificeis...

20/08/12



...de entender! Deixei-me de tretas, reduzi, parei. Dei tréguas, abandonei programas, planos, ideias, deixei-me levar por outras vontades, relaxei. Vamos lá gozar as férias, então. Mas, quê? Hoje voltei a tentar correr, quase 5' depois vi-me obrigado a parar. Eu que até tenho uns gémeos tão jeitosinhos. Filhos da mãe. Não deixam mesmo. Vamos ver se uma electromiografia dá conta do gato ou uma análise metabólica ou o catano, porque eu não quero parar!! Tenho saudades, chiça (contenção)!! mas que...

Entretanto, para todos aqueles que não viram a prova masculina de triatlo dos saudosos jogos olímpicos de Londres 2012, deixo-vos aqui o link.

Abraços triatléticos, companheiros.

 http://www.eurovisionsports.tv/london2012/index.html?video_id=8181


Cross-country - Olympic Cycling - Mountain Bike | London 2012

10/08/12




Senhoras e senhores, aproxima-se mais um espectáculo de eleição neste programa olímpico que tem primado pelo carácter excepcional; a competição vulgarmente conhecida por XCO, em BTT. A avaliar pelo percurso, pelo nível de competitividade dos participantes, esperam-se dois dias de grande nível desportivo.  

As senhoras entram primeiro em acção, já amanhã, pelas 12h30'. Os homens, no domingo, pelas 13h30'. A pista tem um drop que vai ser de arrepiar.

Para apreciar!

Women's Cross-country - Olympic Cycling - Mountain Bike | London 2012

Men's Cross-country - Olympic Cycling - Mountain Bike | London 2012



10km Marathon - Olympic Swimming | London 2012

09/08/12



Senhoras, amanhã, 9, às 12h00'; Homens, 6ª feira, também às 12h00',  ambas as provas no Hyde Park de Londres, onde o triatlo brilhou. Um português, Arseniy LAVRENTYEV , nos homens, defenderá as cores nacionais. A não perder.



Vitoria-Gasteiz: Campeonato do Mundo de Longa Distância , Resultados!

29/07/12




Todos os participantes estão obviamente de parabéns, porque apenas concluir este evento que decorreu no País Basco é já por si um enorme feito. Se se atender aos resultados obtidos, poderemos dizer que o destaque vai para... 
Chris MacCormack (Macca), na competição Elite, também para o 8º lugar de Duarte Marques nesta classificação, José Estrangeiro foi 13º; destaque para o 5º lugar de Rodrigo Baltazar, AG 30-34, onde Paulo Coelho fez 22º; Destaque para a vitória de Sérgio Dias no AG 35-39, onde Pedro Amaral fez 16º lugar, Benek Morais 17º, Ricardo Lanceiro 19º e Telmo Veloso 22º lugar, porventura o melhor AG para os atletas lusos. Rui Sousa, 8º lugar no AG 40-44, onde Paulo Margarido fez 20º e Pedro Quintela 22º lugar.
No sector feminino, destaque Cecília Shinn, 2º lugar AG 35-39; Sónia Quintela, 3º Lugar no AG 40-44, também para Susana Simões, 10º lugar no mesmo AG.
No Para-Triatlo, destaque para o 2º lugar de Pedro Basílio, em TRI-5.


Numa palavra: Fantástico!


Jogos Olimpicos Londres 2012: Triatlo!

28/07/12




O triatlo como modalidade olímpica (praticado no mínimo em 35 (mulheres) e 50 (homens)  países e em 3 continentes diferentes), irá ter lugar nos dias:
  •  4 (Sábado) de Agosto, Senhoras - 9am  
  •  7 (Terça-Feira) de Agosto, Homens - 11,30am 
Local: Hyde Park, de Londres









Quem sairá vencedor? Aceitam-se apostas. A lista é a seguinte (Fonte: ITU):


Qualified Athletes

Men

Women

CountryAthlete
ARGGonzalo Tellechea
AUSBrad Kahlefeldt
AUSCourtney Atkinson
AUSBrendan Sexton
AUTAndreas Giglmayr
BELSimon De Cuyper
BERTyler Butterfield
BRAReinaldo Colucci
BRADiogo Sclebin
CANSimon Whitfield
CANKyle Jones
CANBrent McMahon
CHIFelipe Van De Wyngard
CHNFaquan Bai
COLCarlos Quinchara
CRCLeonardo Chacon
CZEJan Celustka
CZEPremysl Svarc
ESPJavier Gomez
ESPMario Mola
ESPJose Miguel Perez
FRALaurent Vidal
FRADavid Hauss
FRAVincent Luis
GBRAlistair Brownlee
GBRJonathan Brownlee
GBRStuart Hayes
GERJan Frodeno
GERSteffen Justus
GERMaik Petzold
IRLGavin Noble
ITAAlessandro Fabian
ITADavide Uccellari
JPNYuichi Hosoda
JPNHirokatsu Tayama
KORMin Ho Heo
MEXCrisanto Grajales
MONHerve Banti
NZLKris Gemmell
NZLBevan Docherty
NZLRyan Sissons
POLMarek Jaskolka
PORBruno Pais
PORJoao Silva
RSARichard Murray
RUSAlexander Bryukhankov
RUSDmitry Polyanskiy
RUSIvan Vasiliev
SUISven Riederer
SUIRuedi Wild
SVKRichard Varga
UKRDanylo Sapunov
USAHunter Kemper
USAManuel Huerta
ZIMChris Felgate
CountryAthlete
AUSEmma Moffatt
AUSErin Densham
AUSEmma Jackson
AUTLisa Perterer
BELKatrien Verstuyft
BERFlora Duffy
BRAPamela Oliveira
CANPaula Findlay
CANKathy Tremblay
CHIBarbara Riveros Diaz
CHNYi Zhang
CZEVendula Frintova
CZERadka Vodickova
DENHelle Frederiksen
DENLine Jensen
ECUElizabeth Bravo
ESPAinhoa Murua
ESPMarina Damlaimcourt
ESPZuriñe Rodriguez
FRAEmmie Charayron
FRAJessica Harrison
FRACarole Peon
GBRHelen Jenkins
GBRVicky Holland
GBRLucy Hall
GERSvenja Bazlen
GERAnja Dittmer
GERAnne Haug
HUNZsofia Kovacs
IRLAileen Morrison
ITAAnnamaria Mazzetti
JPNAi Ueda
JPNJuri Ide
JPNMariko Adachi
MEXClaudia Rivas
MRIFabienne Saint Louis
NEDRachel Klamer
NEDMaaike Caelers
NZLAndrea Hewitt
NZLKate McIlroy
NZLNicky Samuels
POLMaria Czesnik
POLAgnieszka Jerzyk
RSAGillian Sanders
RSAKate Roberts
RUSAlexandra Razarenova
RUSIrina Abysova
SLOMateja Simic
SUINicola Spirig
SUIDaniela Ryf
SWELisa Norden
UKRYuliya Yelistratova
USAGwen Jorgensen
USASarah Groff
USALaura Bennett