Ocorreu um erro neste dispositivo

Curso de Grau I 2013 e a Aposta na Formação!

16/12/12



Foi recentemente anunciada pela recentemente empossada equipa federativa que uma das suas apostas em termos de política desportiva seria na dimensão formativa. Entendi portanto que o investimento das energias humanas e financeiras iria ser mais significativamente canalizado para os escalões mais jovens, como qualquer mortal pensaria. Ora, não se pode pensar em formação de jovens praticantes, seja em que modalidade for, se não se pensar antes na formação dos seus agentes formativos. Isto é, posso desejar muito ter cada vez mais jovens a praticar seja que modalidade quisermos considerar, para deles retirar melhores praticantes, mas se não se investir em treinadores, de preferência mais e melhor preparados, não adianta nada desejar a primeira.
A recente divulgação do calendário formativo de treinadores de grau I, de acordo com as premissas da nova lei que regulamenta a atribuição de cédula de treinador, vem provar que afinal a aposta na expansão da modalidade ao nível da formação é...uma treta! Na realidade, um curso de treinadores que se restrinja apenas a Lisboa é extremamente limitador para qualquer interessado que se situe acima do rio Mondego ou abaixo de Grândola, no mínimo. E refiro-me apenas ao litoral, porque se me alargar para o interior...ou ilhas...
Vale a pena atentar um pouco nisto; deverá continuar a ser canalizada a aposta formativa exclusivamente nos potenciais agentes da modalidade em redor da capital? Qual a distribuição geográfica nacional dos clubes com formação na modalidade? Porque a modalidade não cresce tão significativamente fora da grande Lisboa, em clubes e praticantes? 
Definitivamente, o novo cronograma do curso de treinadores de triatlo de grau I não atende ao crescimento real da modalidade no território nacional. E ainda tem outros pecados, como o tipo de carga horária (acabar às 18h30 de Domingo, para quem tenha de fazer acima de 300kms de viagem!... e corresponder cedo às exigências da real profissão) e o custo de vida actual. 

Acabo com  uma observação; recentemente estive atento aos resultados desportivos no atletismo do campeonato nacional de desporto universitário. Estranhamente ou não, os lugares cimeiros na maioria dos escalões foram ocupados por atletas do norte.

Companheiros, abraços triatléticos.



1 comentário:

Hugo Gomes disse...

Boas João!

É sem dúvida uma boa observação/preocupação.

Esta constatação também pode ser feita relativamente às provas. Embora haja algumas espalhadas aqui e ali, a esmagadora maioria concentra-se na zona da Grande Lisboa...

Assim é difícil...

Um abraço!