Ocorreu um erro neste dispositivo

Feliz Ano Novo!

31/12/11





A todos os companheiros, seguidores e não seguidores deste blogue, votos de um ano 2012 pleno de realizações pessoais, mas acima de tudo pleno de saúde. 
Que venha ele que nós cá estaremos para o enfrentar.

Abraços triatléticos.


Biiicycle!... Biiicycle!...

28/12/11



É verdade. Estou de regresso às rotinas do treino vai para duas semanas. Ajuda muito uma pausa na obrigatoriedade do cumprimento de um horário de trabalho, mas outras ajudas tenho tido, pelo menos para evitar cair na esparrela de um esgotamento que se avizinhava. O tempo da preguicite aguda parece! parece então ter passado. Na realidade, estes últimos meses, ou o outono, foi-me estranho. Porém, este regresso à atividade normal, digamos assim, está circunscrito ao ato de pedalar. Com a piscina fechada para obras, impossibilitado pelos humores que me afetam os gémeos de correr quando o tempo resfria e a luz do dia é menos comum (felizmente que os dias começaram a crescer), só me resta pedalar, no que ao triatlo diz respeito. É verdade que tem havido por aí umas belas ondas para surfar, mas ou se pedala ou se surfa. As duas coisas é que não dá muito para conciliar. 
Conclusão: hoje senti falta de uma companhia assim como o vídeo "recomenda", para perfazer os 157 kms nas 5 horas e 19 minutos que consegui. Podia ser que atenuasse algumas das dores musculares que agora sinto.

Abraços triatléticos, companheiros.



Feliz Natal!

24/12/11




A noite, fria, ficou deserta

A mesa, farta de sabores e de cores,

Fervilhava desperta

Reunia sorrisos e carícias,

Olhares saudosos, de uma cumplicidade total

No fim, trocaram prendas e desejos,

  Alegrias e outras delícias,

E sob um brilho cristalino, 

Ainda antes dos primeiros bocejos,

Saudaram... o nascimento do Menino

E desejaram a todos

Feliz Natal.


Calendário Galego de Duatlo e Triatlo 2012.

20/12/11




Acabou de ser divulgado pela federação galega de triatlo e pentatlo, o calendário para a época 2012. De entre as provas anunciadas, tenho a experiência de ter participado em duas: o duatlo cross de Candeán, Vigo, e o triatlo da amizade, Vila Nova de Cerveira e Tomiño (do lado galego), numa organização conjunta entre as congéneres portuguesa e galega. Ambas as provas aconselho vivamente, especialmente o duatlo cross de Candeán é um desafio todo o terreno e por isso bastante difícil, mas numa zona muito bonita e bem organizado.  

Deixo-vos o link do calendário, que foi retirado do sítio da federação galega de triatlo e pentatlo.

Abraços triatléticos, companheiros


 


Stretching before and after swimming

18/12/11




Não é uma fórmula exclusiva, mas é uma boa relação entre a necessária ativação e as diferentes estruturas músculo esqueléticas antes do nado, especialmente. As únicas diferenças para mim, está no tempo do estiramento e o após, onde me dedico mais ao alongamento dos membros inferiores. Já para o dorso, aproveito o jacto de água que existe na piscina que habitualmente uso.

Bons treinos!


Calendário Nacional de Triatlo - Época 2012

16/12/11



Esposende 
Já é público o calendário de provas para a época 2012, esse ano que se prevê "terribilis". Mas, não venho aqui dar esta novidade, antes sim anunciar com grande surpresa que uma das novidades do novíssimo calendário agora conhecido é a realização de uma prova do campeonato nacional de clubes precisamente em Esposende, isto é, em casa. Não estava nada à espera, longe até de imaginar sequer. Ainda não falei com ninguém dos meus contactos sobre o tema, mas "é que é já a seguir", para saber de como tudo isto aconteceu. Até porque aqui há tempos havia sondado o meu colega de profissão que exerce o cargo político de vereador no município de Esposende para a área do turismo, cultura e etc, e havia ficado com a ideia de que seria algo impensável para a autarquia, dado os valores envolvidos na logística e organização de tudo o resto. Agora, que é um lugar magnifico para uma prova, que os meus queridos companheiros se irão deliciar com as condições em que a mesma se irá desenrolar, mesmo não sabendo eu nada de nadinha relativamente a lugares pensados e etc, lá isso é. Para mais, o evento projeta-se para 22 de Julho, o que permitirá enfrentar as águas frias do rio Cávado com outra àvontade (sim, porque não acredito que se faça o segmento de natação no mar). 
Embora não tendo analisado amiúde o novo calendário, ressalvo o regresso de Pedrógão Grande, onde o evento tem um curso de ciclismo nada fácil, e um triatlo longo novo, em Vila Real de Santo António, numa data bastante próxima do triatlo de Quarteira, e mesmo a piscar "o olho" aos vizinhos do lado de lá da fronteira. Acho que sim sr. Com a entrada de Espinho também para o cenário do triatlo nacional, comprova-se que a modalidade está a virar cada vez mais a norte e terá muito a ganhar com isso, sem dúvida, porque há muita gente com qualidade cá mais para cima.
Agora, essa de Esposende...vou ter de me virar do avesso.
Já agora; quem quer vir beber um café a minha casa, em Julho?

Abraços triatléticos, companheiros.





Ponto da Situação!...

15/12/11




Passei por aqui para dizer que estou vivo. Não "vivo" no sentido em que gostaria de estar, mas "vivo" literalmente falando. Não estarei "vivo" no sentido figurado. Nem morto. Antes intermitente. Pára, arranca, pára, arranca. Quando tudo parecia dar a entender que finalmente estaria a funcionar, eis que inexplicavelmente volto a ficar ...catatónico, em figurado, novamente. 
Um mês passou desde a última publicação neste blogue. Admiro-me até com as visitas que entretanto o mesmo tem tido. Admiro-me porque não se justificou qualquer visita. Sem novidades, sem informações ou opiniões...Gabo-vos a paciência de que não serei merecedor. Serão créditos antigos, talvez. 
Não me agrada ter de recomeçar uma e mais uma e ainda outra vez. Pensei até que não valeria a pena recomeçar. Mas, está entranhado. Ao cabo de algum tempo, começa a saudade a chamar. E retoma-se. Pronto. 
Hoje regressou a vontade de partilhar convosco. Não tem sido assim. Na verdade, a "crise" não se tem circunscrito ao desporto. É antes geral. Vamos ver se a coisa atina. Já agora; "alguém tem gémeos pá troca?"

Abraços triatléticos e até breve. 


Taça Nacional de Ciclocrosse, Época 2011/2012

19/11/11




Em boa hora a federação portuguesa de ciclismo relançou o ciclo-cross como variante de inverno do ciclismo. Ainda me recordo com prazer das manhãs ou meios-dias passados em frente ao decrépito televisor para ver o ciclo-cross dos países baixos, especialmente aqui. E achava delirante aquela conjugação esquisita entre pedalar e andar com a bicicleta às costas, atravessando terrenos mais próprios para pasto, tal o lamaçal que os ciclistas traziam agarrados às pernas, às suas e às da bicicleta, misturando cursos deste género com outros de puro alcatrão ou então o famoso pavé. 
Mas voltando ao assunto. A federação de ciclismo, talvez por influência da sua congénere galega que nunca deixou de organizar provas do tipo (levando a que vários ciclistas e/ou betetistas aqui do norte se deslocassem e se desloquem, ainda, aquelas paragens)  ou talvez sob forte influência da AC do Porto, como se pode ler na bikemagazine, ou ainda por pressão de ambas as razões, relançou a variante desta modalidade já no ano passado. Este ano foi mais incisiva e organizou uma Taça de Portugal constituída por 4 etapas. A 1ª já teve lugar por alturas do festival bike, em Santarém. A 2ª terá lugar precisamente amanhã, em Valongo. As restantes duas etapas têm datas contraditórias. A federação refere os dias 11 de dezembro e 29 de janeiro, mas a revista freebike fala em 4 de dezembro, confirma 11 de dezembro e refere 8 de janeiro, em Vila do Conde. Parece ser unânime que o Campeonato Nacional de Ciclo-Cross se dispute a 15 de janeiro.
Dê por onde der, o ciclo-cross está de regresso ao panorama velocipédico nacional. E ainda bem, também o digo. Depois, para nós, os triatletas que também gostam de duatlo e de triatlo cross, esta pode ser uma excelente oportunidade para "desenferrujar" as articulações e os músculos, contribuindo para um crosstraining de razões psicológicas, devido à alteração de rotinas e de novas experiências competitivas.
Vou aguardar por uma boa oportunidade para também me estrear a "alancar" com a bicicleta às costas. Talvez quando o taça passear aqui bem perto, em Vila do Conde. Acho que levarei uma daquelas banheiras à cowboy comigo. 
Para finalizar e antes disto desparvear de todo, há alguns nomes do quadro duatlético nacional que seriam sérios candidatos ao título Nacional e a levar de vencida a Taça de Portugal. Um outro dado interessante é que a Campeã Nacional e vencedora da 1ª etapa deste ano, como disse disputada em Santarém, em Outubro, é a conhecida Isabel Caetano que por vezes faz por aí uns duatlos com direito a pódios e etc.

Deixo-vos dois vídeos; um para conhecer melhor o género, e um outro, para recordar com satisfação. Alguém mais para figurante de algumas das cómicas imagens visionadas?

Abraços triatléticos, companheiros.





Aaaaaaaaaahuummmmmmm!

13/11/11




O tempo passa e não há maneira de...Uns dias a coisa mexe, anda-se bem, pensa-se que é agora que...mas, não. Volta a...para quê? pergunta-se. Se afinal para o ano isto vai ser terrível para...Também não posso correr, ainda. As contraturas quando me ocorrem, levam tempo e paciência. A natação...xiiii....é lastro e mais lastro. A bici torna-se mais acessível, mais confortável. Depois vem o tempo com  chuva e com vento ou a falta de vontade e adia-se para quando a mente quiser. Sempre se vai "petiscando", aqui e ali, mas é tão descontínuo. BTT? Xi, há quanto tempo. Nem sei se tenho saudades. Devo ter. 
Não me vou contrariar. Para quê? Deixa andar que isto passa. Mas, tenho saudades de correr. eheheheh tem-se sempre saudades do que não se pode ter. Defesa?...às tantas. Às vezes soa o alarme, quando me olho na balança. Não é caso, sempre nos 71-70,5.
Conclusão; vou continuar preguiçoso. Claro que voltarei, em condição.
Um dia...

Um abraço triatlético para todos vós. 


Maratona do Porto: Previsão do Tempo!

04/11/11



A dois dias do grande evento de Outono, na cidade invicta, o tempo parece que irá dar tréguas. A temperatura avizinha-se fresca e só lá mais para o início da tarde é que se fará sentir o efeito do sol. Em todo o caso,parece haver algumas semelhanças com a edição do ano passado. Na altura, o tempo resolveu estar de feição mesmo em cima da hora e tornou a participação no evento muito agradável. Esta ano espera-se que o calor humano possa dar algum conforto nos momentos prévios à partida. Depois, com todos os sistemas a funcionar, a temperatura corporal não constituirá problema. E também à semelhança do ano passado, parece que na parte final do trajeto, isto é, a caminho da meta, soprará um ventinho noroeste, que no ano passado dificultou um pouco os últimos 7/10 kms. Isto se a gestão da prova não deixar algumas reservas para essa parte final.
Para todos aqueles que se estreiam na distância, esta terá sido uma boa escolha, porque o perfil é pacífico, a paisagem agradável e o ambiente muito positivo.

Boa prova, domingo. 



Reflexão IX

01/11/11




Em resultado da participação nos jogos EMG Lignano 2011, dei comigo a pensar porque os russos, especialmente estes, mas também os checos, os romenos, os italianos, húngaros, franceses e outros, eram tão fácilmente identificáveis durante os períodos extra competição ou pré competição e pós competição. Fácil, porque estavam equipados, no caso dos russos muito bem equipados, com as cores do seu país, dos pés à cabeça. E invejei-os. Eles eram os fatos de treino, as calças de jogging, t shirts, sweats, calções, casacos, enfim, uma variedade de indumentária suficiente para fácilmente reconhecermos as suas origens. Obviamente que ressalta logo uma boa imagem do nível de organização das suas instituições nacionais, sejam elas federações ou associações ou outras. Mesmo que isso não corresponda à verdade, mas a imagem está lá.  No caso dos portugueses, havia alguma coisa da parte do pessoal do atletismo, já "habitué" nestas andanças dos europeus e mundiais para veteranos, e por isso a seu tempo se organizaram para se fazerem representar de acordo com a dignidade que o país merece num evento internacional, mas também em acordo com a vaidade própria de quem deseja dizer a todo o mundo: eu represento Portugal! Alguma coisa contra?
Acontece que, pensando na possibilidade de também vestir de acordo com a modalidade do meu país, tinha o que foi possível ter, fato de competição e pólo de representação, gratuito, registe-se. E achei pouco. Faltou-me qualquer coisa como um fato de treino, por exemplo, ou qualquer coisa que o substituísse. 

Sugestão:

E lembrei-me por que razão a nossa federação de triatlo não disponibiliza, a quem o desejar adquirir, material de representação? Desde fatos de treino, calções, t shirts, pólos, palas, meias, camisolas de alça, para triatlo e duatlo convencional e x-terra, por exemplo,sei lá...há tanta coisa de merchandising que poderia muito bem ser disponibilizado no site da federação.  Hoje por hoje, reparo que há muito boa gente a deslocar-se lá fora para participar em eventos da modalidade, fora daqueles que fazem parte dos campeonatos da europa e do mundo e que a federação patrocina e que nessa condição considero muito bem, que "ofereça" aos atletas material de representação. Mas aqueles que gostariam de participar envergando as cores nacionais, não têm forma de adquirir equipamentos de representação nacional, a não ser que o tenham feito dentro das condições atrás referidas. Acontece que não raras vezes esses atletas lusos alcançam registos de relevo, por vezes de enorme relevo. A título de exemplo, a federação de ciclismo disponibiliza material do género no seu syte, muito embora os preços não sejam nada simpáticos. 
Nem penso que a questão dos stocks possam ser um problema por aí além. Requer algum investimento inicial, para poder responder a alguns pedidos no imediato, mas tendo a federação uma empresa especializada no setor como parceiro, acredito que tudo se tornaria mais fácil. Seria também uma forma secundária de promoção, de divulgação da modalidade. Mas, acima de tudo a oportunidade de todos  quantos o desejassem de poderem aceder a equipamentos de triatlo, desenhados para representar o nosso país lá fora. 
Deixo a sugestão.  

Continuação de boa semana e abraços triatléticos.


A Uma Semana da VIII Maravilha do Porto!

30/10/11





Falta pouco, muito pouco para a, arrisco-me a dizer sem conhecer outras correndo, melhor maratona em terras lusas, a do Porto. Será a 8ª edição do evento e não contará, infelizmente, com a minha presença, pelas razões que aqui já deixei em devido tempo. É pena, porque raros são estes eventos em solo português e assim sendo menos dispendiosos os custos com a sua participação. Para mais, eu fiquei fã da distância. Terei tido a sorte de me estrear na coisa num percurso muito agradável, à beira rio, aparentemente sem dificuldades extraordinárias. Mas, o certo é que no final muita gente se queixou da aragem que soprou vinda do mar e que dificultou a ação de todos nos quilómetros finais ou de retorno. No final de contas, não choveu e até raiou o sol, possibilitando que tanto eu como todos os presentes desfrutassem da prova de modo mais agradável, digamos. Porém, este ano o tempo poderá dar mesmo a chuva prometida anteriormente. Espero que não se confirme. Mas, também é pena porque este é daqueles desafios reais, de nível, que nos obriga a uma preparação cuidada e efetiva. Isto é, não serão uns treininhos que nos levarão a perfazer a distância dentro de um prazo razoável. É preciso muito mais do que isso; planeamento, disciplina, abnegação, persistência e focagem, muita focagem nos objetivos. Os meus ficam adiados, mas estou à espera que melhores dias venham para poder corrigir esta falta anunciada para o próximo dia 6 de novembro. E é pena porque o convívio é muito agradável, especialmente com as gentes do triatlo, sendo que muitos aproveitam esta oportunidade para também alimentarem outras motivações (ou será a mesma mas de outra forma?).
Foi também por essas alturas que me apercebi do impacto que tem este evento a nível mundial. Não este do Porto, que vai fazendo a sua construção paulatinamente, mas a maratona enquanto prova. Confesso que não tinha a ideia do modo como muitas cidades históricas, e outras querendo fazer história, se organizaram para atempadamente marcarem o seu lugar no calendário internacional da distância. E de facto, a importância turistica, a importância estratégica para a divulgação e afirmação de uma cidade junto de todos os potenciais visitantes e aqueles que já as conhecendo o podem fazer agora de forma renovada, através dos grandes eventos desportivos, chamando a si nomes famosos desta e de outras distâncias, é um dado relevante e para o qual só mais tarde despertaram as cidades do Porto e de Lisboa, menos aquela que esta. Acontece que também o triatlo já se afirma como uma atração turistica para todos aqueles que desejam vencer as distâncias do ironman ou da sua cara-metade, e também pelas mesmas razões as mesmas cidades e ainda outras se vão organizando de modo a estar na linha da frente. Lisboa já terá garantido um lugar no calendário internacional. Na verdade, há uma luta pelos dias sobrantes do quadro competitivo internacional e dos quais também a economia de cada cidade deseja tirar proveito.
Resumindo, estamos a um semana do grande evento de Outono e nada mais haverá a fazer que não tenha a ver com a gestão dos níveis de preparação alcançados para a prova. Não deixar que o corpo "esqueça", mas permiti-lo descansar quante-baste. E que não haja nenhum azar, caramba. As lesões serão sempre o pior inimigo, a seguir ao deficit de saúde. Agora, é fortalecer ainda mais a vontade, desejar estar dentro do cenário, imaginando o prazer que será correr naquelas ruas, com imensos companheiros, estar preparado para sofrer e imaginar o prazer que é cortar a linha de chegada com um sorriso de orelha a orelha. Os minutos depois...bom, isso não vale a pena pensar. Mas, vai haver gente com andar novo.
Eu terei de correr por fora, mas sinto-me frustrado porque este era um daqueles objetivos. E enquanto escrevia o parágrafo anterior, bebia nas sensações que em 2010 tive para ir enunciando o percurso do prazer. 
Lá estarei para levantar o meu kit de participação. Já agora... Assistir? Não me parece. Não gosto muito de estar por fora dos eventos onde o desejo de participar é muito forte. Aguardemos por outras oportunidades.


Para todos os participantes, uma semana tranquila. A "gente ainda se fala". Abraços triatléticos, companheiros.


Os portugueses e o triatlo!

29/10/11



Nada melhor para fechar a época 2011 que este enorme conjunto de resultados dos atletas portugueses em Eilat, Israel, no escalão sub-23, onde pontificou a extraordinária capacidade de João Silva, consagrando-se como o melhor atleta da Europa abaixo da proveita idade dos 23 aninhos (que saudades), conseguindo esse feito de ser bicampeão europeu. Não é para qualquer um. E ainda no setor masculino, apenas dois países conseguiram colocar três atletas no top 10; precisamente Portugal e a Rússia. Mas, não foram apenas estes que estiveram em destaque. Todos os que participaram em representação do nome de Portugal alcançaram grandes resultados, classificando-se de forma digna. Mas também no setor feminino, claramente dominado pelas russas, Anais Moniz alcançou um lugar de grande destaque com o sexto lugar final. Se aliado a estes dados, juntarmos os recentes resultados de Bruno Pais e também do próprio João Silva, nas últimas provas internacionais, poderemos afirmar que na realidade o triatlo, pela ação de todos os que diretamente e indiretamente contribuem para estes resultados, está de parabéns. E a propósito disto, quando me deparo com estes e outros feitos que os portugueses vão conseguindo por essas paragens borda-fora, recordo-me sempre do que um conhecido personagem do desporto luso me dizia, enquanto seu aluno: os portugueses têm jeito para o desporto. Provavelmente, até têm jeito para muito mais. Para o que não parecem ter jeito mesmo é para escolher quem os oriente. Que me desculpem os treinadores dos triatletas, mas sabem bem a quem me refiro.

Abraços triatléticos.




Recordar EMG Lignano 2011: Fotos da Prova.

26/10/11



Hoje publico algumas das muitas fotos captadas na prova de Triatlo onde um certo e determinado amigo meu participou e cujos relatos se encontram algures por aqui. O meu amigo agradece encarecidamente a toda a equipa de apoio que o fotografou e incentivou. Para a história (sim, porque não sabemos a partir de quando e se quando poderá voltar a sonhar com uma coisa assim):









O Campeonato do Mundo XTerra, em Maui, e ...Lance Armstrong!!

24/10/11



Este fim de semana foi a vez de se assistir ao Campeonato do Mundo de triatlo na versão todo o terreno, o designado XTerra, que também teve lugar numa das ilhas mágicas do Hawaii, a ilha de Maui. A prova foi ganha no setor masculino pelo conhecido austriaco Michael Weiss, tendo o vizinho Eneko LLanos obtido o 3º lugar. No feminino venceu a Lesley Paterson, que terá conseguido uma corrida fenomenal no último segmento. Bom, mas para além dos dignos vencedores e das prestações de outros nomes sonantes da modalidade, que têm essa paixão também pelo todo terreno, mesmo que se trate de triatlo, o que dizer da prestação de Lance Armstrong? O americano concluiu a prova num lugar que se poderá dizer normal, digamos; o 23º dos Pros. Mas, e aqui é que bule o meu ponto, se repararmos na prestação do texano na natação é simplesmente fantástico: pouco menos de 21' em 1,5 kms, o 5º melhor tempo do segmento!! Ah, pois. Onde eu pensava que poderia render acima de todos, mesmo considerando que não era o seu terreno predileto, foi no btt, mas também num nível altíssimo. Na corrida é que...claramente abaixo dos da frente. Para alguém que se especializou numa modalidade, para além da luta contra o cancro, conseguir nadar ao nível do topo mundial da modalidade é só passível para quem tem um ecletismo de alto nível. 
O outro dado extraordinário é a admiração, o respeito e a forma verdadeiramente acolhedora como os craques do género acolhem esta lenda viva. Para além do reconhecimento que a sua presença potencia , projetando  uma modalidade sempre em crescendo. A questão é tão só esta: para onde quer que o homem vá, os media não o largam. Simples, não é? Deixo-vos um vídeo demonstrativo disto mesmo.
E o "nosso" Diogo, o TriDavecorner", que deixei para o fim, pois claro, fez uma brilhante prestação, classificando-se em 10º lugar do seu escalão. Parabéns, Diogo. Estiveste em grande. Tu e o teu treinador.

Esta é uma daquelas provas que faz parte do "reino dos sonhos". E correr com Lance Armstrong...uf! no comments.


As classificações do XTerra Workd Championship


Esta semana prometo a divulgação de fotos de Lignano 2011. 
Abraços triatléticos, companheiros.


Duatlo de Santarém 2011: Crónica à Distância.

23/10/11



Duatlo Sntarém 2008


Concluída que está a última prova dos campeonatos nacionais da época 2011, faltando apenas a prova regional de Espinho, já no próximo fds, para finalizar totalmente a época competitiva, e depois de dar uma vista de olhos pelos resultados, concluo uma de duas coisas: ou a malta está nesta altura do ano menos preparada ou melhor, mais cansada que no ano transato, ou as condições de participação na prova foram bem mais árduas do que o esperado. Afirmo isto porque em analogia com os resultados da edição de 2010 quase toda a gente piorou os seus tempos. Seria demasiada coincidência tanta gente na mesma situação, pelo que me leva a pensar que o terreno terá dificultado bem mais a tarefa dos atletas, especialmente no primeiro segmento, já que nos restantes, embora haja também diferenças, elas não são tão gritantes, digamos assim.
Este  ano os séniores dominaram a classificação. Apenas um cadete no top 10. E uma estreia na lista de vencedores desta "muito bem disposta competição", até aqui dominada pelos atletas do Olímpico de Oeiras. Este ano, Tiago Teixeira, do Galitos, foi o primeiro a cortar a fita, mas numa disputa bem acesa com o "amiciclo" Rui Dolores. Ambos longe do melhor tempo conseguido por Lino Barruncho, na casa dos 51'.
No geral, o óbvio; o pessoal do triatlo por regra a perder para os especialistas ou mais os mais familiarizados com o btt, especialmente. 
No setor feminino, e ao contrário dos homens, várias cadetes marcaram presença no top 10, logo à cabeça a vencedora, Luísa Condeço, do Águias de Alpiarça, com um tempo muito interessante, ao nível da vencedora do ano passado, Rita Maria Lopes, que este ano não marcou presença, nem ela nem outras duas mulheres fortes desta especialidade: Isabel Caetano e Patrícia Serafim.
No meu escalão, uma disputa muito interessante entre os três primeiros, com vitória do agora penichense Bruno da Silva e o Renato Fidalgo novamente a pisar o pódio.
O meu clube alcançou um excelente resultado, quedando-se na 7ª posição geral, donde saíram vencedores os atletas do Olímpico de Oeiras. 
E eu cá me entretenho, a observar estas coisas e a escrevinhar um pouco sobre elas, para ir alimentando o vício, num fim de semana típico de inverno. Ontem voltei a sentir o prazer de treinar e a volta de 90 kms que costumo fazer a Ponte de Lima disse-me que, embora tenha perdido condição, ainda consigo fazer aquela distância a 30 kms/hra de média, de forma tranquila e prazenteira, como deve ser. O bonito vai ser quando voltar a nadar, e sem fato, na piscina. Aí é que vão ser elas. mas, está a regressar a vontade de treinar e isso é-me muito importante, senão mesmo decisivo.

Companheiros, até breve e bons treinos ou bom descanso. Abraços triatléticos.


Duatlo de Santarém: Previsão do Tempo e Lista de Atletas Inscritos.

21/10/11



Duatlo de Santarém 2010

Estamos praticamente em cima do fecho da época de triatlo que, como tem sido normal, conclui o ano desportivo com o simpático duatlo de Santarém. Por acaso, o fecho daquela acontecerá não com uma prova nacional, mas sim com um evento de cariz regional e possivelmente com um triatlo, o que, a meu ver, fará todo o sentido. Mas, como o sentido nestas contabilidades tem menos importância do que as oportunidades do momento, aí temos a prova de Santarém, que apareceu em 2008 como fazendo parte da "festa das bicicletas", num recinto muito engraçado, porque divertido, com alternâncias no perfil do curso de btt, alguma adrenalina nas descidas, uma ou outra inclinação de curta duração mas suficiente para marcar alguma diferença e pôr à prova as diferentes capacidades que se desejam ver num betetista; saber subir, saber descer e saber "planar". O segmento de corrida é dos mais apelativos de todos os que fazem parte do circuito nacional; sempre ao encontro do alcance da vista de quem assiste, a fazer lembrar uma prova de corta-mato, pela sinuosidade mas igualmente pelas carateristicas do piso, onde o alcatrão é raro e a relva é abundante, por vezes demais. As distâncias são curtas e a prova deveria chamar-se mais um super-sprint do que um sprint e tudo o que seja ou vá para além dos 75' será certamente demais para quem amiúde se prepara. 
Foi aqui que tudo começou para mim na modalidade, precisamente na 1edição da prova. E embora estivesse já nessa altura focado na ideia do triatlo, foi com curiosidade que participei neste duatlo e não poderia ter sido melhor a experiência que senti na altura. Diverti-me à brava e procurei sempre voltar. Este ano, por impedimentos físicos (é a segunda vez), mas também económicos, não estarei presente. Mas, olhando a listagem de inscritos divulgada pela federação, muitos serão aqueles que a título individual irão na expetativa de sentir aquilo que referi: muita diversão. Depois, também lá estão muitos "tubarões", uns mais de triatlo, outros mais de duatlo, para esgrimir, para além da diversão, o prazer da classificação. Daí que alguns que raramente ou  nunca tenham aparecido em provas de triatlo, estejam no próximo domingo na linha de partida. Vai saltar faísca da grossa.
Quanto ao tempo, parece que a chuva irá passar ao lado, embora o tempo possa estar assim mais para o fresco. Mas como são muitos os previstos, o calor humano será suficiente para acalorar as almas.

Votos de boa prova. Abraços triatléticos, companheiros.





Lignano Sabbiadoro 2011: O Vídeo!

19/10/11



Um dos canais da conhecida televisão italiana Rai Sport fez a cobertura diária do evento European Master Games. Todos os dias, ao cair da noite, divulgava aquele que constituía o resumo das competições do dia. Do triatlo também. Há uma reportagem que passou em Itália, mais completa, mas terá sido a única vez que terá sido vista, uma vez que não se encontra em parte alguma. Aquele problema referido com as classificações dos primeiros poderá estar na base da sua não divulgação, assim como a entrevista aos dois primeiros classificados. Em substituição, é entrevistada uma atleta conhecida da região de Udine. Deixo-vos o vídeo. Só têm de ter paciência e esperar um pouco porque o triatlo está lá.

Abraços triatléticos, companheiros, e coragem.



Tempos Dificeis!...

18/10/11




Realmente, não havia necessidade. A braços com uma desmotivação fruto da alteração forçada das rotinas de sucesso que até aqui vinha tendo, do cansaço também, de novas obrigações profissionais, ainda à procura da melhor solução para voltar a trilhar os caminhos da futura época, mais uma nova reincidência de um daqueles problemas nos gémeos de que sou useiro e vezeiro em atrair, fruto das carateristicas fisológicas, biológicas e de outras lógicas que me escapam e de que estou dependente, ainda assim procurando vislumbrar no futuro motivos para reiniciar a preparação para alguns eventos exigentes, como os triatlos longos e as maratonas e meias-maratonas, eis que nos espetam, a todos os dependentes da remuneração pública, um daqueles murros quadruples que nos parte em quatro partes iguais, tal a violência com que foram desferidos. Assim, vai ser realmente difícil fazer tudo isto; deslocar, custear desgastes com o material, custear provas fora de portas, preparar eventos renomados, experimentar desafios novos. Não sei, sinceramente não sei. Como se não bastasse, mas face ao qual eu já estou mais que preparado, até para ouvir pior, hoje mesmo já nos avisam para mais e novas medidas de austeridade. Mais; que todo este esforço não é suficiente para servir o seu propósito. Bom. Pior só mesmo o despedimento e este já esteve bem mais distante.

Hoje recebo um email anunciando uma prova de triatlo-que-poderá-não-o-ser; o triatlo ou duatlo de Espinho, incluída no campeonato regional norte.Ora, já aqui havia feito o alerta, há alguns meses atrás, que importava dinamizar os campeonatos regionais, sob pena de se tornar difícil suportar as despesas inerentes com a participação nas provas nacionais, que têm dominado o calendário da modalidade. Parece-me óbvio que mais do que nunca se se pretender que a atividade desportiva do triatlo, e suas derivações, só poderá continuar a ser acessível à maioria de todos os pretendentes atuais mais aqueles que espreitam, se se reorganizar em calendários competitivos regionais. Isto é, potenciar os eventos regionais, concentrar aí os esforços para pontualmente oferecer provas de cariz nacional. Não acredito que anunciar eventos pomposos que depois não se confirmam na prática, deixando criar a ilusão em muitos dos pretendentes que chegam a preparar-se quase até à sua véspera, porque há apenas o "nim", nem sim, nem não..."nim"...seja a solução.  Antes, para que a modalidade possa respirar para poder sobreviver à tona de água, na realidade a solução parece-me outra, aquela a que dei voz. Por isso, acolho com palmas e abraços o anúncio deste evento. Pena apenas de não poder dar o meu "contributo", digamos.Eu por mim confesso; deixei de ter condições para custear deslocações acima de 60 kms.
Até lá, e quando as pernas me deixarem, é ir correndo e pedalando por aí.

Abraços triatléticos, companheiros.