Ocorreu um erro neste dispositivo

A Uma Semana da VIII Maravilha do Porto!

30/10/11





Falta pouco, muito pouco para a, arrisco-me a dizer sem conhecer outras correndo, melhor maratona em terras lusas, a do Porto. Será a 8ª edição do evento e não contará, infelizmente, com a minha presença, pelas razões que aqui já deixei em devido tempo. É pena, porque raros são estes eventos em solo português e assim sendo menos dispendiosos os custos com a sua participação. Para mais, eu fiquei fã da distância. Terei tido a sorte de me estrear na coisa num percurso muito agradável, à beira rio, aparentemente sem dificuldades extraordinárias. Mas, o certo é que no final muita gente se queixou da aragem que soprou vinda do mar e que dificultou a ação de todos nos quilómetros finais ou de retorno. No final de contas, não choveu e até raiou o sol, possibilitando que tanto eu como todos os presentes desfrutassem da prova de modo mais agradável, digamos. Porém, este ano o tempo poderá dar mesmo a chuva prometida anteriormente. Espero que não se confirme. Mas, também é pena porque este é daqueles desafios reais, de nível, que nos obriga a uma preparação cuidada e efetiva. Isto é, não serão uns treininhos que nos levarão a perfazer a distância dentro de um prazo razoável. É preciso muito mais do que isso; planeamento, disciplina, abnegação, persistência e focagem, muita focagem nos objetivos. Os meus ficam adiados, mas estou à espera que melhores dias venham para poder corrigir esta falta anunciada para o próximo dia 6 de novembro. E é pena porque o convívio é muito agradável, especialmente com as gentes do triatlo, sendo que muitos aproveitam esta oportunidade para também alimentarem outras motivações (ou será a mesma mas de outra forma?).
Foi também por essas alturas que me apercebi do impacto que tem este evento a nível mundial. Não este do Porto, que vai fazendo a sua construção paulatinamente, mas a maratona enquanto prova. Confesso que não tinha a ideia do modo como muitas cidades históricas, e outras querendo fazer história, se organizaram para atempadamente marcarem o seu lugar no calendário internacional da distância. E de facto, a importância turistica, a importância estratégica para a divulgação e afirmação de uma cidade junto de todos os potenciais visitantes e aqueles que já as conhecendo o podem fazer agora de forma renovada, através dos grandes eventos desportivos, chamando a si nomes famosos desta e de outras distâncias, é um dado relevante e para o qual só mais tarde despertaram as cidades do Porto e de Lisboa, menos aquela que esta. Acontece que também o triatlo já se afirma como uma atração turistica para todos aqueles que desejam vencer as distâncias do ironman ou da sua cara-metade, e também pelas mesmas razões as mesmas cidades e ainda outras se vão organizando de modo a estar na linha da frente. Lisboa já terá garantido um lugar no calendário internacional. Na verdade, há uma luta pelos dias sobrantes do quadro competitivo internacional e dos quais também a economia de cada cidade deseja tirar proveito.
Resumindo, estamos a um semana do grande evento de Outono e nada mais haverá a fazer que não tenha a ver com a gestão dos níveis de preparação alcançados para a prova. Não deixar que o corpo "esqueça", mas permiti-lo descansar quante-baste. E que não haja nenhum azar, caramba. As lesões serão sempre o pior inimigo, a seguir ao deficit de saúde. Agora, é fortalecer ainda mais a vontade, desejar estar dentro do cenário, imaginando o prazer que será correr naquelas ruas, com imensos companheiros, estar preparado para sofrer e imaginar o prazer que é cortar a linha de chegada com um sorriso de orelha a orelha. Os minutos depois...bom, isso não vale a pena pensar. Mas, vai haver gente com andar novo.
Eu terei de correr por fora, mas sinto-me frustrado porque este era um daqueles objetivos. E enquanto escrevia o parágrafo anterior, bebia nas sensações que em 2010 tive para ir enunciando o percurso do prazer. 
Lá estarei para levantar o meu kit de participação. Já agora... Assistir? Não me parece. Não gosto muito de estar por fora dos eventos onde o desejo de participar é muito forte. Aguardemos por outras oportunidades.


Para todos os participantes, uma semana tranquila. A "gente ainda se fala". Abraços triatléticos, companheiros.

Sem comentários: