Ocorreu um erro neste dispositivo

EMG Lignano Sabbiadoro 2011: O Ciclismo!

13/10/11




Continuando a relatar a presença dum tal amigo que participou no europeu de veteranos, estava decidido logo à partida que haveria que participar também no evento de ciclismo. Porque ele gosta da modalidade, acha até que tem um certo jeito, só não sabia de duas coisas: que estaria muito enganado sobre aquela ideia e que este evento iria calhar no dia seguinte ao do evento de triatlo. Mas, como a ideia era participar e fazer dessa participação um treino que fosse, já valeria a pena.
Esta prova terá sido realizada fora de Lignano, em Fontenafreda, a cerca de 30 kms de distância do coração dos jogos. Com ele, também os seus companheiros de jornada haveriam de participar nesta excitante modalidade, pelo menos no primeiro dia dedicado à modalidade Apenas teriam de participar separadamente, já que fazem parte de diferentes escalões. O evento deste meu amigo seria o primeiro da tarde de sábado, a que se seguiriam os restantes, incluindo uma prova para pessoas portadoras de deficiência. No dia seguinte, estaria programado o contra-relógio, cuja prova era um desejo secreto deste meu amigo porque nunca havia feito um. Teria apenas de se classificar nos 15 primeiros do seu escalão. Como os inscritos não pareciam exceder esse número, à partida estaria garantida a sua participação. E lá veio a prova. Antes, um olhar para as "máquinas" dos concorrentes e a ideia de que tinha uma bicicleta comprada num qualquer "continente" saltou-lhe rapidamente à cabeça. Coitada da sua Mérida. Não merecia tamanha desconsideração. Mas, o que pensar quando à sua volta só parecia haver rodas de perfil alto, quadros de carbono e isto e aquilo...estava no topo do mundo da maquinaria ciclística. Juntamente com o seu escalão haveriam de competir também as senhoras. E que senhoras, como pôde constatar.
Numa organização simpatiquissima, mas igualmente profissional sem o serem, iniciou-se a prova com o grosso pelotão aguerrido e cheio de vontade. Tanta era esta que logo ao fim de meia dúzia de metros iniciaram-se as hostilidades, com um duo ou trio no ataque. O meu amigo confessa que, já com experiência destas incursões pelo metiêr, a ideia era estar no pelotão e procurar aguentar-se por lá o máximo que pudesse. Mas, desta feita, como os escalões eram só de "velhotes" acima dos 50, com algumas meninas pelo meio, achou, na sua inocência, que haveria de chegar ao fim junto com os restantes. Bom, quando dá por ela está à cabeça do pelotão. Porque aquilo ia lento, porque os italianos lhe estenderam a passadeira...seja porque terá sido, teve de ir para a cabeça do touro. Errado! Numa zona ligeiramente mais inclinada e de frente para o vento, iniciam-se mais ataques. Procura resistir-lhes. Em vão, vai ficando para a cauda do pelotão. Tenta nas últimas aguentar-se ali, mas em vão continua. As pernas pesam-lhe. Como noutras situações parecidas, consegue manter-se à distância para os ir vendo e iludir-se que  conseguirá chegar-lhes. Não dá. Aquela ida à frente do grupo não ajudou nada. Fica com mais um companheiro que ficou para trás. Outros terão ficado. Mas, fica com este e inicia aí um verdadeiro contra-relógio de ...45 kms, a uma média de quase 36 kms/hra. O tal companheiro de ocasião haveria de ficar para trás, após umas "sapatadas" porque não ajudou um dedinho mindinho que fosse. Tinha de ser forçado a ficar no caminho. Não merecia outro destino. Até ao final ainda recuperou dois lugares, o suficiente para ficar em 10ºL do escalão, o que lhe valeu uma ida ao pódio e um prémio muito bom: vinho, chocolate, massa, café, palitos larréne e açúcar. Ficou consciente que pedala demasiado pouco para estas andanças. À frente, os primeiros haveriam de andar a mais de 45 kms/hra de média, quem sabe? e as meninas idem. Só para terem uma ideia, na prova dos escalões anteriores (acima de 35), ganha por um russo ex-profissional, a média situou-se acima dos 50 kms/hra em 70 e tal kms. Pois.


No dia seguinte, o cumprimento do sonho, mas mais do mesmo; o contra-relógio. Tinha saída do palanque típico destes eventos e a maquinaria estava naquele dia mais refinada: rodas lenticulares, todos com cabras, enfim...tadinha da minha "cabrita feia". Mas, ela esteve em grande, o meu amigo é que...último do escalão, isto é, 6º L, a cerca de 30'' dos 5º e 4º e a dois minutos do primeiro e segundo. Muito longe para 8,4 kms a dar o litro, com uma média exata de 36 kms/hra. Ele diz que gostou, acima de tudo da experiência. Lá levou mais um daqueles sacos do pódio e ficou grato à organização pela qualidade proporcionada pela prova. 
A partir daqui seria o descanso. Estava concluída a sua participação em eventos do EMG 2011.

Abraços triatléticos, companheiros.


Sem comentários: