Ocorreu um erro neste dispositivo

Tempos Dificeis!...

18/10/11




Realmente, não havia necessidade. A braços com uma desmotivação fruto da alteração forçada das rotinas de sucesso que até aqui vinha tendo, do cansaço também, de novas obrigações profissionais, ainda à procura da melhor solução para voltar a trilhar os caminhos da futura época, mais uma nova reincidência de um daqueles problemas nos gémeos de que sou useiro e vezeiro em atrair, fruto das carateristicas fisológicas, biológicas e de outras lógicas que me escapam e de que estou dependente, ainda assim procurando vislumbrar no futuro motivos para reiniciar a preparação para alguns eventos exigentes, como os triatlos longos e as maratonas e meias-maratonas, eis que nos espetam, a todos os dependentes da remuneração pública, um daqueles murros quadruples que nos parte em quatro partes iguais, tal a violência com que foram desferidos. Assim, vai ser realmente difícil fazer tudo isto; deslocar, custear desgastes com o material, custear provas fora de portas, preparar eventos renomados, experimentar desafios novos. Não sei, sinceramente não sei. Como se não bastasse, mas face ao qual eu já estou mais que preparado, até para ouvir pior, hoje mesmo já nos avisam para mais e novas medidas de austeridade. Mais; que todo este esforço não é suficiente para servir o seu propósito. Bom. Pior só mesmo o despedimento e este já esteve bem mais distante.

Hoje recebo um email anunciando uma prova de triatlo-que-poderá-não-o-ser; o triatlo ou duatlo de Espinho, incluída no campeonato regional norte.Ora, já aqui havia feito o alerta, há alguns meses atrás, que importava dinamizar os campeonatos regionais, sob pena de se tornar difícil suportar as despesas inerentes com a participação nas provas nacionais, que têm dominado o calendário da modalidade. Parece-me óbvio que mais do que nunca se se pretender que a atividade desportiva do triatlo, e suas derivações, só poderá continuar a ser acessível à maioria de todos os pretendentes atuais mais aqueles que espreitam, se se reorganizar em calendários competitivos regionais. Isto é, potenciar os eventos regionais, concentrar aí os esforços para pontualmente oferecer provas de cariz nacional. Não acredito que anunciar eventos pomposos que depois não se confirmam na prática, deixando criar a ilusão em muitos dos pretendentes que chegam a preparar-se quase até à sua véspera, porque há apenas o "nim", nem sim, nem não..."nim"...seja a solução.  Antes, para que a modalidade possa respirar para poder sobreviver à tona de água, na realidade a solução parece-me outra, aquela a que dei voz. Por isso, acolho com palmas e abraços o anúncio deste evento. Pena apenas de não poder dar o meu "contributo", digamos.Eu por mim confesso; deixei de ter condições para custear deslocações acima de 60 kms.
Até lá, e quando as pernas me deixarem, é ir correndo e pedalando por aí.

Abraços triatléticos, companheiros.

3 comentários:

Hugo Gomes disse...

Como eu te compreendo João!...
Vamos ver o que será possível fazer na próxima época.
Um abraço!

david caldeirao disse...

sem duvida..., é esse o caminho!!! agudizado pela famosa crise :-( cada vez será mais dificil aos triatletas que vivem nas "pontas" do pais participarem assiduamente nas competições (sempre) nacionais da FTP.
enquanto não se paga imposto é treinar e aproveitar as belas condições naturais que este pais nos dá para nadar, pedalar e correr... :-)

Triatleta disse...

Caro João,

Se o tempo e paciência não trouxerem tudo o que esperas e necessitas, pelo menos, aproveita bem todas as oportunidades para retirares o devido prazer de tudo o que gostas de fazer.

Um abraço.