Ocorreu um erro neste dispositivo

Duatlo das Lezirias; E Vivam os Velhos e os Novos...

12/02/12




Afinal, jogar em casa sempre dá vantagem (?). Isso até poderá ser verdade para os desportos coletivos, onde a irracionalidade das massas transmite algo mais do que a metodologia do treino alguma vez poderá antever. A verdade é que já toda a gente do meio conhece sobejamente os trilhos que se pisam nas Lezirias, logo, qualquer vantagem que alguém mais conhecedor dos percursos pudesse retirar não passaria de pura ilusão. Na verdade, nos desportos em que a dominante resistência aeróbia prevalece, quer combinados, quer sem combinação, a lei é simples: ou se tem pulmão ou o melhor é voltar a treinar mais e melhor. 
João Pereira arrasou a concorrência presente e se no ano passado andou uma época meio titubeante entre o muito bom e o simplesmente bom, aqui e ali excelente, este ano, olímpico, convém não esquecer, pretende assegurar um lugar no difícil lote dos três representantes nacionais masculinos na modalidade de triatlo. E o simpatiquíssimo João esteve em grande destaque. Os também concorrentes às vagas olimpicas, Miguel Arraiolos e Duarte Marques,  estiveram em bom nível. Registo igualmente o número de atletas que estiveram em destaque na corrida inicial com vários a correr  abaixo dos 3,20/km. Assim como no segmento ciclista, com outros tantos a pedalar acima dos 32 kms/hra.
Outro destaque vai inteirinho para a jovem cadete Luísa Condeço, do Águias de Alpiarça, que confirmou o estatuto atual de uma das melhores atletas femininas da modalidade, se não mesmo a melhor. Por duas razões: porque ultrapassou Anais Moniz, a campeã nacional de triatlo e porque acredito que a Luísa se portará muito bem quando a água fizer parte dos obstáculos a ultrapassar. Aliás, a competição entre as atletas citadas terá sido muito disputada até ao momento do segmento final, onde a atleta do Alpiarça se destacou. Patrícia Serafim também entrou na luta até ao segmento de btt, mas ter-lhe-á faltado as rampas para se manter até ao fim com as da frente.
Nos diversos escalões há algumas singularidades: um V1 (Luís Manuel Almeida, Olímpico) num fantástico 8ºL. Aliás, o top V1 fechou ao 26º Lugar, com um atleta do Peniche AC (Joel Marcelino), especialista em duatlo. O primeiro V2 (António Calafate, Golegã) aparece após o fecho do pódio em V3!!! Aliás, os três primeiros no meu escalão estiveram a um nível fantástico e com parciais de fazer inveja a quem quer que seja. António Horta, do Praças da Armada, venceu este escalão e entra em grande na presente época. Mas, os 2º e 3º classificados é gente ilustremente desconhecida e elevam o nível de tal maneira que consagrados no escalão não conseguiram chegar-lhes. O primeiro V4 (Carlos Cabrita, Louletano) aparece no 88º L da classificação geral e acima, muito acima do 2º classificado no escalão. 
546 concluíram a prova, e a federação em boa altura alongou a prova, aumentando-lhe as distâncias em todos os segmentos, criando assim uma dificuldade que o traçado dos percursos não apresenta. 
O meu clube Fonte Grada desta feita não conseguiu o destaque que havia alcançado no Jamor, mas o facto de se ter apresentado sem alguns dos seus protagonistas explica os resultados alcançados.
Duma coisa é certo; as "gentes" andam empenhadas, confirmando o entusiasmo pela preparação já verificado no ano passado. A luta está aí para durar. E José Luis de Matos esteja onde estiver, estará orgulhoso da prova que a título póstumo apadrinha. 


Continuação de bons treinos, companheiros.

5 comentários:

Hugo Gomes disse...

Grande João, mais uma "reportagem" de grande nível como, aliás, nos vens habituando.
Força aí e bons treinos.
Um abraço!

João Correia disse...

Obrigado, Hugo. Isto por cá não está famoso, mas depois falo sobre isso.
Forte abraço.

Anónimo disse...

Boa tarde João,
De facto o nivel competitivo cada vez está mais alto, o que é sinal do elevado crescimento que a modalidade regista. Novos e menos novos, toda a gente a andar muito e bem.
O 2º em V3 é o meu grande amigo Gilberto Fernandes (Alpiarcense de gema), grande corredor e dos melhores fundistas portugueses á 20 anos atrás. Fez a estreia no Jamor e esta foi a sua 2ª prova. Anda de bicicleta á 1 mês, deixem o homem calejar e vamos ver no que dá.
Cronica exclente como já é habitual. Abraço e saudações desportivas.
Sapo da Barragem

sica disse...

Parece que o Peniche já deu um ar da sua graça, mas reforço o Campeonato é a nossa luta.
O Anónimo (sapo da barragem) que comentou o teu post é ó meu grande amigo Raul Jorge 4º V1, 30º à geral o homem está uma maquina.

João Correia disse...

Excelentes contributos informativos, os vossos. Muito agradeço a colaboração. E tenham lá calma nos treinos, que isto só de saber já deixa um tipo cansado. :))

Abraços e bons treinos.