Ocorreu um erro neste dispositivo

Montemor-O-Velho; A Star Is Born?

16/05/11



Foto: Federação Triatlo de Portugal


A primeira etapa do evento mais importante do panorama competitivo português da modalidade, o Campeonato Nacional Individual de Triatlo, projetou um novo nome na senda das vitórias: Marcus Fernandes. Trata-se de um individual, sénior, vindo do anonimato, pelo menos para mim, e que bateu, na linha de chegada (ou terá sido nos milímetros finais dessa linha?), um grande nome da modalidade, Pedro Palma. Assim, como levou de vencida todos os craques que estiveram presentes na prova e muitos de renome, casos do Duarte Marques, Hugo Ventura, recente Campeão do Mundo de Triatlo Cross, em sub-23, Miguel Arraiolos, só para citar estes, porque a lista é considerável. A dúvida é mesmo essa: será que nasceu uma estrela no nosso triatlo? Este é um daqueles testes que não tem muita margem de engano. Mas, vamos esperar pelos próximos tempos.
No género feminino, novamente domínio de Anais Moniz. Sem rival, em parte porque Maria Areosa não esteve presente, outra parte porque as (e os) cadetes não puderam competir; regulamento dixit. 
Nos diferentes escalões, e a despeito de algumas ausências de peso em todos os escalões masculinos, não houve a competitividade já verificada em outros eventos recentes. O que não belisca em nada, precisamente nada, é tão só uma observação. Destaco o regresso em pleno de Miguel Fragoso, em V2, num escalão que anda em alta rotação. Outro destaque vai para Fernando Feijão, em V4, cuja diferença para o 2º classificado do seu escalão se cifrou em mais de 30'. Tive particular satisfação em voltar a ver Fernando Carmo de regresso aos pódios, em V1, escalão ganho por Emanuel Neves, outro destaque.
No meu escalão, V3, a prova de que o clube Vitória de Janes é quase imbatível em veteranos, tendo repetido a vitória aqui, depois de o ter conseguido em V2, desta feita por José Oliveira. 
Como se tratou de um campeonato individual não há lugar a classificações coletivas. Porém, não posso deixar de referir o bom desempenho de todos os atletas do Fonte Grada, cuja fraternidade e companheirismo está imbatível, perdoem-me todos os outros. Só lá falto eu, mas...a coisa pode estar para breve. Espero que Peniche me receba bem. A possibilidade de participar na prova de lazer foi posta de parte pela falta de consistência nos recentes hábitos de (voltar a...) correr. E como disse que iria ter juízo, preteri essa possibilidade a favor da Clássica Póvoa/Srª da Graça, em ciclismo, de que darei oportunamente conta da sua estória.

Abraços triatléticos, companheiros.



5 comentários:

Joana disse...

Marcus Vinicius Fernandes é brasileiro..

Pedro Pereira-- Ericeira disse...

Atenção que o Marcus Fernandes não é assim tao desconhecido,é atleta brasileiro que se encontra a morar/treinar em Rio Maior fazendo parte do grupo de treino do Sérgio que tem em vista os Jogos do rio em 2018.

Louletanodc_Triatlo disse...

é isso João, os individuais que aparecem na classificação são SÓ a selecção brasileira de triatlo que reside em Rio Maior, a demonstrarem mais uma vez que o Sergio Santos é um treinador de excelência!!!

João Correia disse...

Ah! Muito bem. E obrigado pelos esclarecimentos que me prestaram. Embora não seja impossível, não será fácil aparecer alguém do "nada", chegar e vencer, de facto.

Pedro Brandão disse...

Confirmo as palavras do pessoal, João. Eles estavam lá todos com o Sérgio Santos. É pessoal brasileiro que andam muito bem.