Ocorreu um erro neste dispositivo

Mais coisa, menos coisa, o Triatlo de Abrantes terá sido assim...vejamos.

05/05/10



(Fonte: FTP)
Não deixa margem para dúvidas; há um novo Rei no triatlo Nacional. Seu nome: João Pedro Silva ( Olímpico de Oeiras). 
Tivemos no ano transacto um outro Rei, que fez uma época Nacional ímpar, sem derrotas nas provas onde participou. Falo óbviamente do Bruno Pais (S.L. Benfica). Foi autoritário, dominador, poderoso. Mas este ano, amigos, o Rei é outro e cuidado! porque Sua Magestade ainda é Sub23, por isso ou os amigos (sim, porque a comunidade triatlética é tudo boa gente, já deu para ver) se cuidam ou iremos ter um reinado difícil de contra argumentar. Eu tinha vaticinado uma grande época para o João Pereira (Alhandra), atendendo às imensas promessas que havia deixado no ano 2009 e também à sua jovem idade. E apesar da lesão que o impediu de estar em grande no arranque, já se nota que o rapaz está a carburar a muito bom nível, como atesta o seu 2º Lugar na prova. Bem como o pretérito Rei (Bruno Pais), mas ... há qualquer coisa ali que ainda emperra um pouco, não é Bruno? Quem também está em grande forma é o Duarte Marques, que apesar de preferir distâncias um pouco mais longas, confirma um excelente registo, depois de ter feito uma grande prova para a Taça do Mundo, em Monterrey, México.
Depois, tenho de fazer uma referência a dois Séniores; o Tiago Lobo (Compeed-TriOeste), que começa a aparecer, com um excelente 8º lugar, sendo o 4º do seu escalão, mas mesmo ali a morder os calcanhares ao Pedro Gomes, e Rodrigo Baltazar (Sporting C.P.), que também fez uma excelente prova (fechou o Top 10). E digo que fizeram uma excelente prova porque depois é tudo malta nova, cheia de power, atinada nos sprints, com grande nível, a fazerem grandes registos, dos quais destaco o Miguel Fernandes e Hugo Ventura (ambos do Olímpico de Oeiras), parece que a dizerem que pretendem surpreender-nos este ano com novas vitórias em provas da Taça de Portugal, mesmo quando estão presentes os nomes maiores. Será? A coisa não anda muito longe, e o Miguel já ganhou em Quarteira, embora aí faltasse muita gente de renome.
No escalão V2, o meu, quero destacar o regresso às vitórias do Carlos Gomes. Que, parece, tem investido na natação, olhando para os seus registos nesta prova, mas também na prova do triatlo longo onde esteve igualmente em grande. E dado que a concorrência para o lugar cimeiro do pódio aumentou este ano,e como já se viu que o Carlos não gosta de ficar a olhar para a frente a ver os outros, nota-se que está realmente empenhado em fazer boa figura. É a raça de campeão. Mas, o meu maior destaque vai mesmo para o meu grande amigo e colega de equipa, Paulo Jorge, que andou a engonhar o ano passado, vai não vai fazer triatlo, e este ano estreou-se e muito bem. Os tempos não interessa. Está feito, isso sim. O entusiasmo ficou, como poderia ser de outra maneira? E por ele revejo o meu filme, tudo o que vai dizendo, eu senti no ano passado quando também me estreei na modalidade, e aqui estou, viciado e agarrado. Há coisas muito piores. Uma palavra ainda para o Paulo Leitão (Peniche A.C.), que depois dum Longo, aí está ele a fazer um registo muito bom no escalão. E ainda uma referência para um desconhecido, João Pereira, que também deve ter feito a sua estreia e logo com um excelente lugar. 
      ( Fonte: FTP)
th_dsc_0998.jpg  No sector feminino, destaco a vitória da Bárbara Clemente (Olímpico de Oeiras) e os tempos no segmento de natação das meninas da frente, onde se nota estão mais àvontade. A corrida parece mesmo ser o nó górdio do sector, e claro, sem um bom segmento de corrida não há nada para ninguém. A única triatleta um pouco abaixo dos 20' foi a Teresa Machado (Olímpico de Oeiras), e isso diz tudo.



Por equipas, o meu clube Praças da Armada vai provando que não é preciso ser-se bom nadador para se ser marinheiro, e como tal o 21º lugar é modesto. Ainda assim, ficaram 10 equipas abaixo de nós, pessoal. Vamos lá a ver se eu não afundo mais o barco quando regressar. Fica a dúvida.
Depois, há uma luta interessante entre o Olímpico e o Alhandra, repartindo as vitórias nos dois sectores, muito embora o saldo geral  favoreça o Alhandra. Uma palavra para o Clube de Triatlo de Almada cujo investimento na formação é evidente e do qual resulta o excelente 3ºL alcançado no sector feminino. Acredito que a médio prazo outros bons resultados serão alcançados.

E pronto! Depois de um fim de semana que me obrigou a viajar pelo País, ou quase, deixo-vos a minha visão algo atrasada de uma outra prova que persigo, mas que teimosamente me escapa. Até um dia.

Até breve e bons treinos!

1 comentário:

Paulo Renato Santos disse...

João, é com agrado que venho até aqui ler as tuas opiniões... continua, mas importante mesmo é voltares às provas! Força nessa recuperação.