Ocorreu um erro neste dispositivo

Esta Semana que ...

14/08/10




...passou foi marcada pelas férias, que continuam e se prolongarão por mais um tempo. O treino tem sido um dos pratos principais, sempre conciliando o tempo com a minha cara metade. Tem de ser. E a colaboração tem existido. Nem sempre acontece, mas é mesmo assim. Ou talvez não. Comecei a semana com um osso duro de roer: Tires-Odivelas-Tires. Visitar o meu pai era o objectivo, mais dois dedos de conversa e toca ao regresso. Foram 91 kms em três horas e meia. Já à muito tempo que não fazia uma média tão baixa: 25, qualquer coisa kms/hra. O traçado, durinho, mas principalmente os quase 40º fizeram de mim um fanico, de tal maneira que mal cheguei a casa fui direitinho para a banheira, a banhos de água que se pretendia fria mas que até a sentia morna. Foi terrivel. Cruzei-me com muito pouca gente do pedal. O perfil do trajecto não é seguramente o mais apetecível, mas a temperatura deve ter afastado muita gente dos asfaltos. Porém, foi interessante pedalar em estradas que normalmente percorri, quando aqui vivi, e ainda percorro, quando cá venho, de carro. E cruzar Sintra, mesmo quando o tempo não ajuda, é sempre motivo de satisfação, pela beleza e também pelo desafio que nos coloca, sem ser demasiado, é sempre interessante subir as empenas de um dos patrimónios mundiais mais belos. Lá hei-de regressar, para a semana, por outros lados, igualmente desafiantes, porque ao contrário do que se possa pensar, plano só mesmo na marginal ou junto ao mar porque para interior há muita montanha ou monte, que disfarçada pelo betão nos leva ao engano. 
A parte boa do treino, a especialmente boa, é que já corro; são duas semanas a correr. Calma! Têm sido em gestão de tempo (15' alternando aqui e ali com 20'), sempre numa média entre os 5 e os 6 kms/hra. De tal modo que se vislumbra no horizonte a possibilidade, agora forte, de me candidatar a um lugar na partida de Gaia, a 29 do corrente. Hoje até deu para fazer ciclismo com transição para a corrida. Isto tá a começar a carburar. 
E nadar? Tem sido um espectáculo nadar no mar de Carcavelos. E com companhia, alguns do Belenenses, outros não sei de onde. Sei é que tivemos todos a mesma ideia e que boa, a ideia. Até acertamos no percurso, o mesmo de todos. Poderia não ser. Uma hora a nadar é capaz de dar aí qualquer coisa como 3kms, para mais, não para menos. A água destes dias escaldantes que se fizeram sentir nos primeiros dias da semana estava tão apelativa que até arrisquei nadar sem fato. Mas, os 17º de temperatura começaram a provocar mossa no corpo a partir dos 40'. De tal maneira que quando saí da água tremia por todo o lado. O engraçado é que os companheiros que também nadavam iam quase todos como eu, em pele e osso. Nã! Aqui o je passou a nadar de fato nos dois dias seguintes. Depois, passei a ter saudades da ...piscina! Pois é. Procurei em todo o lado, até em Odivelas...tudo de férias, Jamor, Algés, Ameixoeira, Odivelas...desisti. Ok. Vai ter de ser no mar até que o capricho do tempo o permita. Desejei ter aqui mesmo ao lado Avô e a sua bela praia fluvial. Sonhos. 
A meio da semana fiz uma incursão pelo BTT, no Jamor, para preparar a minha participação, amanhã, nos 50 kms do passeio da Malveira. É sempre um prazer rever aqueles trilhos. Cruzei-me com mais gente do triatlo; uns que acabavam o seu treino de ciclismo, enquanto eu acabava o meu, e um ou outro que corria pelo belo complexo. Excelentes as condições. Não deixei de reparar que enquanto muitos correm para as praias, alguns, poucos, e já com alguma idade, procuram bem cedo fazer uma caminhada ou um footing por ali. Acompanhados ou não, por amigos ou pelo mais fiel amigo do Homem, não vá o diabo tecê-las, lá andavam eles, enquanto eu pedalando ia escolhendo à sorte qual a empena que haveria de superar.
Pelo meio, a semana ainda deu para fazer uma visita ao cinema, passear por Sintra, de máquina em punho, recordando esse lugar mágico, onde nos perdemos e rapidamente concluímos que serão sempre precisos mais dias, muitos mais que umas simples horas, para desfrutar das belezas que o Concelho nos oferece. 
Amanhã, Malveira, então, no que se está a tornar numa rotina de férias. Já no ano passado estive presente naquele passeio, que não é bem uma prova, mas onde cada um imprime o ritmo que bem lhe aprouver. 

Abraços veraneantes.

Sem comentários: