Ocorreu um erro neste dispositivo

A Importância de Um Treino!

28/08/10




Há muito que não edito algo especificamente relacionado com treino ou metodologia do treino. Adiado há muito tempo, agendado para as férias, o certo é que há sempre desculpas. Embora sejam vários os assuntos que tenho em agenda abordar, o certo é que decidi escolher a "importância de um treino" dentro de um ciclo de preparação, seja microciclo, seja macrociclo,  depois de ler uma reflexão de um companheiro destas andanças. 
O que me chamou à atenção em especial  foi o facto de, motivados pelo rigor do planeamento de um treino para aquele dia, sujeitar o organismo a cumprir o plano, ainda que em horários desadequados, como por exemplo, noite dentro. Não há necessidade, como dizia o outro.
A verdade é que um treino, nas condições em que nós nos preparamos, e a sua perda, não é algo irrecuperável. Longe disso. Aliás, quantas vezes somos forçados a abdicar de um plano para aquele dia (por isto ou por aquilo) e isso produz em nós um efeito de supercompensação no(s) dia(s) seguinte(s) ou mesmo na prova do fim de semana que se segue. Já me aconteceu, acreditem. E também já vos aconteceu, acredito. Tal como o inverso, isto é, cumprir integralmente o plano de treino, totalmente, nas semanas antecedentes à prova, e aí, no dia X, a "máquina" falhar. Provavelmente fomos longe demais no propósito de estarmos bem preparados e não permitimos que a homeostase produzisse o efeito desejado a ponto de estarmos a 100% no tal dia. 
Portanto, tenho para mim que a falta de um treino provoca apenas, no sentido da provocação, entenda-se, a satisfação psicológica, desenvolvendo a ideia de que estaremos a falhar, mas não é verdade. Se não conseguimos treinar hoje, porque já é tarde demais, poderemos compensar no próximo dia, bem cedo, treinando depois de uma noite suficientemente reparadora (uma boa solução é, por exemplo, realizar uma sessão de alongamentos/stretching). E assim defendemos ou respeitamos os ritmos circadianos relativamente aos quais estamos obrigados a nos sujeitar. Obviamente que excluo as situações de necessidade da adaptação fisiológica às condições de competição que irão vigorar no dia da prova. Ainda assim, as condições de preparação desses treinos serão concerteza bem diferentes das condições normais de realização dos treinos, digamos, ordinários. Depois, há sempre alguns riscos associados, especialmente os que dizem respeito às lesões.  Imaginando, e trata-se apenas de um exercício, que os "prós" treinando noite dentro (23h/24h...por aí), muito provavelmente terão dormido uma bela sesta, compensando  dessa maneira o ciclo biológico do corpo humano. O que é bem diferente que treinar após um dia de trabalho.

Agora uma curiosidade sobre os ritmos circadianos; estes não se resumem à dinâmica fisiológica, mas estão igualmente sob a influência da astronomia, geologia e mesmo ecologia.

Abraços triatléticos.

Sem comentários: