Ocorreu um erro neste dispositivo

Triatlo de Gaia, o Regresso!

30/08/10





Nem sei bem por onde começar, se opinar sobre a minha prestação, dando azo a que  minha alta auto-estima actual domine o meu pensamento, tirando-me quiçá discernimento, se pelos resultados da prova, quer masculino, quer feminino, se pelo lado do convívio antes e após a prova, sempre um momento de importância capital, porque não ando nisto apenas por prazer narcisista.

Começo pela prova em si, a última desta época, respeitante à Taça de Portugal na modalidade: num dia fantástico, com excelente temperatura, zero vento, afinal a neblina não apareceu (talvez não tenha sido convidada), maré a baixar, tendo por isso sido a razão da antecipação da hora de início, enorme vitória do simpático "puto" Miguel Fernandes, a confirmar o excelente momento de forma que atravessa, após a conquista da medalha de ouro que é do conhecimento de todos. E com uma vantagem que não deixa margem para dúvidas. Os parabéns que te enderecei foram bem merecidos, Miguel! De parabéns estamos todos, bem entendido, mas uns mais que outros, porque procuram o melhor desempenho, porque lutam por isso e chegam ao cenário e dominam a cena. Foi o caso do João Amorim, Fabrício Tomás, Diogo Custódio, enfim...No sector feminino uma agradável surpresa, ver a Katarina Larsson conquistar o primeiro lugar do pódio e com uma vantagem fantástica. Grande prova. A Joana Marques não esteve mal, nem a Andreia Ponte, mas...estiveram longe da Luso-Sueca (penso). 
Grandes performances também se verificaram em diferentes escalões, no meu, por exemplo, onde o Emanuel Marques dominou a seu belo prazer. Eu....já lá irei. Em V1, lamento a parcialidade, mas foi pena que o Fernando Carmo tivesse ficado a alguns "milimetros" do pódio. Provavelmente nem era seu objectivo. Nunca é, dirão, mas lá que sabe bem...Em séniores, três grandes craques nos três primeiros lugares, e muito bem escalonados na tabela geral. Refiro-me a Tiago Neves, Rodrigo Baltazar e Tiago Lobo. Em V3, para além da vitória de António Moura, gostaria de destacar o 2ºL de Vasco Santos, esse sorridente companheiro. 
Por equipas, à que dar os parabéns ao Compeed-Tri-Oeste, em femininos, e ao Alhandra Sporting Clube, em masculinos, porque se anda a trabalhar bem por aqueles lados. No geral, verificar que participaram 30 senhoras e 152 senhores é um bom número para demonstrar que pelo meio, muita gente do norte vai aderindo ao triatlo.

Esta prova marcou o meu regresso à modalidade. Finalmente! Agora já estou mais calmo, ou direi, controlado, mas o meu contentamento só poderia ser comparável àqueles momentos em que no Natal recebia (tive essa felicidade) aquele presente por que tanto ansiava. Mimoso do caraças, pensarão. A verdade é que após não sei quantas sessões de fisioterapia, avanços e recuos na tentativa de correr, muitas expectativas e outras tantas frustrações, consegui aquilo por que tanto ansiava: completar um triatlo. Passaram mais de 12 meses desde a minha última participação em idêntico evento e é claro que no final me emocionei logo após cortar a meta. Tratou-se de uma luta entre mim e o azar ou infortúnio ou as dificuldades estruturais do meu corpo, sei lá. Mas hoje venci e por isso festejei na passagem da meta, para dentro, essencialmente, como se tivesse vencido a prova, facto que acabou por acontecer: vencer a "minha" prova. As marcas, os tempos, não eram o meu objectivo principal. Queria apenas fazer bem, sentir-me assim, como me senti, bem. A natação acabou por ser melhor que o esperado, tendo feito o meu melhor tempo de sempre. E senti-me melhor à medida que esse foi passando. Como será em Setúbal? Espero lá estar para ver como é, no dobro da distância. Será a minha estreia. É claro que levei uns puxões ainda no curso até à primeira bóia. Cheguei mesmo a pensar porque razão haveriam de implicar comigo, caramba. Com tanta gente por ali....claro, depressa discerni que também ia implicando com os outros. Não há culpas, há apenas pressa. Passar a primeira bóia afigurou-se-me um momento complicado, pensava eu enquanto me aproximava. Mas, acabou por não o ser e daí em diante nunca mais houve problemas do género. O trajecto para o parque de transição fez-me recordar que há muito não fazia isto. A recordação do efeito está cá, na cabeça e nas estruturas musculares, mas só isso. Porém, não evitou que a fadiga de facto se instalasse. Depois, demorei o tempo que já esperava demorar na transição para a bicla. Nada a fazer quando se pedala com sapatos de BTT e ainda não se está familiarizado com os elásticozinhos e que por via disso não se usam. É muito "amadorismo". Passando ao ciclismo, as duas primeiras voltas foram junto a um grupo de 3/4 rapazes, mas jeitosos, até ao momento em que, na passagem para a 3ª volta, decidem acelerar o sistema numas das subidas com que o percurso nos brindava. Nunca mais consegui recolar. E terá sido aí que perdi a possibilidade do...3ºL no meu escalão. Conscientemente não quero que isso me influencie. Inconscientemente sei que o cântaro tem ido algumas vezes à fonte. Até que um dia....Pois é. O meu 5ºL significou cerca de 43'' mais que o tal lugarejo, mas também significou outras coisas; por exemplo, que é muito tempo sem correr para ambicionar uma coisa desse tipo e que me esforço por não ambicionar, mas que martela quando me acontecem estas incidências, e que perdi imenso tempo na primeira transição. E a corrida correu muito bem, com as dificuldades esperadas logo ali, nos metros que se seguiram, mas que depois foram atenuando à medida que me aproximava do fim, a ponto de conseguir imprimir um andamento ligeiramente mais rápido. Afinal, à quanto tempo eu não corria abaixo dos 5'/km? Foi hoje. Resumindo: foi muito bom.

Não posso deixar de referir os companheiros de jornada, destas e doutras. Excelente rever o pessoal do CVP, sempre animados com aquela disposição que os caracteriza e que os faz desfrutar dos eventos com o real espírito desportivo, saudável. Parabéns, amigos. Foi bom receber os estimulantes incentivos do enorme companheiro que é o Pedro Brandão, sempre com uma palavra de ânimo cada vez que passava pelo lugar onde ele estava. E como foi saborosa a cavaqueira no final, amigo. Grande abraço! 
Tive pena de não encontrar o Paulo Pitarma, que disse que estaria por lá, mas com tanta gente não terá sido fácil distinguir-me, não é Paulinho? E quero também registar a adesão do Mark Velhote ao triatlo. Companheiro, procurei-te na classificação e a primeira impressão que tive foi: veio e venceu. Parabéns, Mark. A partir daqui nada será como dantes. 

E foi assim. Bem, depois seguiu-se o repasto num dos restaurantes especializados em tripas à moda do Porto. E sobre Porto, dizer que a cidade nos acolheu tranquila, prazenteira e com uma temperatura no ponto, nem demais, nem menos. O almoço, esse, foi saboreado como um prémio. 
Mais tarde, publicarei fotos do evento, facto que tenho de agradecer à enorme companheira que é a minha esposa, que para além do apoio nos bons e maus momentos, também gosta de estar presente e fixar momentos que ficam para sempre nas nossas vidas.


Quase quase a finalizar esta crónica, dizer que a organização esteve impecável. Parecia até que nos encontrávamos a competir na prova do dia anterior. Parabéns, Federação. Outra palavra para o público, bastante, incentivando, aplaudindo, este e aquele, independentemente dos lugares que ocupavam no momento. Eu cá recebi umas palminhas, como todos, aliás. E porque o Sábado foi dia de show para Portugal, foram grandes os sub 23 tugas, claro! João Silva, que num sprint para chegar mais cedo um segundo sagrou-se Campeão Europeu! Grande título, João, grande título. Este já ninguém te tira. E grande classificação do Miguel Arraiolos - 7ºL. Parabéns, rapaziada!

Next Stop: Viseu! Abraços triatléticos e boa semana, companheiros.

7 comentários:

Mark Velhote disse...

Viva João,

Mas que grande prova!
Mesmo que o pódio tenha ficado a uns escassos segundos tens razões para ficar satisfeito e fico também contente por o teu regresso ter sido feito na minha terra!

Obrigado pela tua referência à minha humilde classificação, mas que, tal como dizes, para mim constituiu uma vitória!

Só tenho pena não te ter reconhecido para te presentear com um abraço, mas estou certo que mais oportunidade existirão!

Mais uma vez parabéns pelo regresso em grande!

1 Abraço

Mark

João Correia disse...

É isso, Velhote (esse teu apelido é mesmo engraçado). Se fores à Póvoa, lá trataremos desse abraço e outros, porque terei imensa satisfação nisso, em te conhecer. Outro grande abraço, triatleta ;)

Anónimo disse...

Estive lá os dois dias, mas fica prometido não passa de Setubal sem darmos uma palavrinha.
Paulo Pitarma

João Correia disse...

Isso é que é, Paulo.

Até Setúbal, então.

Paulo Renato Santos disse...

Muito bom João! Regresso espectacular... agora é continuar, com os cuidados necessários às nossas veteranias :-)
Ainda pensas vir a Peniche dia 12?
Abraço

david caldeirao disse...

como é bom voltar e sentirmo-nos vivos ;-)
agora será sempre a subir, pois o corpo quer sempre mais...
força nisso

João Correia disse...

Se é, David, se é...é indescritível. Bom, mas a vida continua e há que ter as pegadas assentes no chão.
Paulo, é complicado ir a Peniche. Correndo tudo bem, espero estar em Setúbal, no Jamor e Santarém, e assim sendo são muitos kms virados a sul em pouco tempo, sabes como é.

Abraços sentidos para os dois. Espero estar convosco em breve.