Ocorreu um erro neste dispositivo

Duatlo do Jamor: Surprise, Surprise...

31/01/11



(Fonte: nutrimarkt.com)
Nem mais. Grande surpresa nos nomes dos vencedores, tanto em masculinos, como em femininos. E contrariando as expectativas que estão sempre criadas para uma primeira prova da época e num terreno onde sem dúvida o Lino Barruncho era dado como o super favorito, eis que surge um Miguel Arraiolos a dizer que "não senhor, eu também percebo disto do x-terra e calma aí, tenho uma palavra neste assunto". Agora, surge a grande dúvida: será que o Miguel Arraiolos irá manter a tradição dos dois últimos anos na qual quem entra forte, sai forte na época? Hmmm. Calma. Esta prova nem contou com a presença de todos os nomes que irão ditar cartas no panorama do triatlo em Portugal. Não é que fizessem lá grande coisa, até poderiam fazer, mas ainda se poderiam magoar. Para além disso, é uma prova com muita gente, muita confusão à mistura e não vá o diabo tecê-las. Acho que sim, que fizeram bem em se resguardarem. Mas o Miguel Arraiolos não deixa de se constituir como uma surpresa, também na forma autoritária, categórica mesmo, como venceu, porque até no segmento de btt esteve impecável, ao nível dos especialistas, caso do Marco Sousa. Para ganhar, não poderia deixar de ser. Beneficiou, é certo, de algum infortúnio do Lino, mas faz parte do jogo. Muitos parabéns, Miguel.
No sector feminino, a surpresa da confirmação da enorme capacidade revelada pela Patrícia Serafim. Parece uma contradição, mas eu explico. É que a Patrícia havia ganho na edição anterior, aqui há meia dúzia de meses (nem tanto). Mas, na altura poderá ter ficado a sensação de que teria ganho porque a concorrência não estaria à altura. Pois é, mas desta vez estiveram lá os pesos pesados do feminino, especialmente a Maria Areosa, que é umas das melhores atletas nacionais nesta área, e a Patrícia venceu novamente. Vinte segundos de diferença, mas convenceu. Mas, donde aparece esta menina? Ela é pujança, força, resistência, tenacidade, sofrimento...enfim. Será que irá continuar a aparecer em provas? É que iria dar uma maior competitividade ao sector, que se encontra carenciado, diga-se. 
Outro dado interessante nos homens é a presença, desta feita, de alguns sub23, e especialistas em triatlo, no topo da classificação. Muito bom. Fantástico também foi a presença de dois V1 no top 10; o inevitável José Ribeiro, este ano no Ext. da Benedita, e o Joaquim Lopes, do Amiciclo,que surpreendeu aquele. 
Por escalões, destaque para o V1 Joel Marcelino, do Peniche, uma vez mais a fazer uma grande prova, para um V2  individual inacessível,  até para os craques Luis Serrazina e António Horta: João Paulo Marques. Em V3 a coisa vai ser gira, vai. A avaliar pela amostra, e ainda com muita gente ausente, espera-se competitividade a rodos. Aqui, destaque para o atleta do Oímpico, Rui Campos, também inacessível.
Por equipas, uma grande vitória do Águias de Alpiarça, que bateu o pé ao Olímpico, que já estava habituado a vencer em masculinos. O Fonte Grada deixou promessas de que irá acertar contas no futuro com aqueles que lhes ficaram mais à frente. Um 12º lugar, a meio da tabela, é honroso, mas atendendo a que se verificaram algumas ausências significativas e que houve uns azares nesta prova que levaram ao abandono de dois atletas que iam muito bem posicionados, acaba por saber a pouco. Mas...está feita a promessa e deixado o aviso.
Em femininos, o Olímpico não deixou escapar o lugar maior do pódio.
Tudo isto num fim de semana também marcado por mais uma edição da meia-maratona Manuela Machado, em Viana do castelo, e onde pontificaram vários triatletas, cujas tempos prometem, ai se prometem. E esta é uma daquelas provas  em que a minha estreia fica uma vez mais adiada. 

Uma observação final: a sondagem falhou claramente no alinhamento dos potenciais vencedores desta prova. Bastou que não figurasse o nome do Miguel Arraiolos para falhar. Estamos sempre a aprender. 

Abraços triatléticos, companheiros.




1 comentário:

sica disse...

Foi uma festa em grande, já vi que o Fontegrada está bem reforçado, pelo menos no que diz respeito a Duatlo, nós cá estamos para a "luta".
As Lezirias, vão dizer-nos mais qualquer coisa sobre o actual momento de forma das nossas elites.