Ocorreu um erro neste dispositivo

Regresso aos Treinos: Tentativa Dois!

06/01/11



bailes que simplesmente não gosto de frequentar. Neles gravitam danças difíceis de dançar. É mesmo uma questão de contrariedade. 
Este inicio de época volta a tramar-me as contas. Por estas alturas já deveria ter concretizado algumas S.S., uma ou outra incursão pelo BTT, visitar alguns treinos mais longos. Mas, nada. Tudo porque uma semana após o recomeço, e depois de muito boas indicações na corrida, mais o prazer que sentia em finalmente! poder estar nas quatro frentes do treino, uma dor no gémeo são ( eu também não acredito), o esquerdo, acabou por me levar para um beco do qual espero em breve sair. Nem a fisioterapia me valeu, lamentavelmente. Para uma contractura, foi tempo demais. Conclusão: terá sido apenas uma contractura?  É uma dor da treta, mas suficientemente persistente para me levar a um ataque de nervos. Pelo meio, veio uma gripe, mais as tentativas frustradas de regressar à corrida, mais um período doentio, mais uma grande decepção e a inevitável desmotivação associada, também ela doentia, a piscar o olho à depressão. Pela cabeça, voltam os pensamentos mais angustiantes. Até este cantinho sofre. Mas, o tempo é um grande conselheiro.
Não é tarde, não senhor. A época é longa. A questão é...porquê? mas, porque tem de ser assim? Não há respostas. Já procurei saber, já Lhe coloquei todas as questões. Fiquei sempre sem resposta. 
Este será definitivamente o meu grande nó-górdio e terei de saber viver com ele.

Agora, Jamor já era. Verdade, verdadinha é que poupo nas deslocações. Há sempre algumas vantagens associadas. Temos de ver as coisas também por esse lado. 
Aponto o meu regresso para Alpiarça. Lezirias não gosto, confesso. Nem é BTT, nem é estrada. Depois, tem aquela corrida que não acho piada alguma, de ir e voltar, tipo boomerang. Acho que não perco grande coisa. Gostos, dirão e com razão. Alpiarça, portanto. E a seguir é só escolher, tantos serão os eventos. Dúvida; quantos irão ser cancelados até lá? É que eu estou muito pessimista sobre a garantia das verbas a disponibilizar para levar avante algumas das provas anunciadas. A ver vamos. 
A verdade é que enquanto não me sentir acondicionado, não sinto falta da competição. A seu tempo.

Abraços triatléticos, companheiros.

3 comentários:

sica disse...

O caminho faz-se andando e infelizmente as lesões têm atravessado vezes demais o teu caminho, mas o importante é não deixar instalar-se o desânimo, afinal um Triatleta quando não corre pode sempre andar de bicla ou nadar, vamos embora que há muita estrada para andar.

Rui Pena disse...

Nah nah... não há cá espaço para desânimo... vamos lá com isso Correia...
Abraço...

Pedro Brandão disse...

Oi amigo. Vamos lá ter animo e trabalhar do duro para conseguir os nossos objectivos e tirar prazer de tudo isto. Se te serve de consolo (eu sei que não, mas eu estou a braços com a porcaria da dore nas costas. Já fiz os exames todos e nada. Preciso apenas de fisioterapia. E porque é que não a faço? porque estou á espero que o Filho da (/%& do seguro me de o avale para começar a fazer, pois nõa posso de maneira alguma pagar um tratamento por minha conta nesta altura. Estou parado desde inicios de Dezembro. MAS hei-de fintar a maldita lesão custe o que custar. Deslculpa falar mais de mim do que do teu problema, mas olha.... precisava de me confesar e tu foste o "padre".... Vamos lá amigo. Havemos de ter melhor sorte daqui para a frente. Abraço.