Ocorreu um erro neste dispositivo

Em Alpiarça Houve Passagem do Testemunho.

21/03/11



(Foto: www.oribatejo.pt)
Muda-se o cenário, mudam os protagonistas...? Nem tanto. Alguns, sim. Outros há que são todo o terreno. Pensando cá com os meus botões, o vencedor foi o esperado. Já a vantagem que alcançou sobre o segundo classificado, e o seu protagonista, é que não estava nas minhas cogitações. Daí que tanto o João Silva como o Bruno Pais (que se encontra a subir claramente de forma. É um guerreiro, sem dúvida) fizeram uma prova fantástica.  Aliás, é com enorme satisfação que assisto ao "regresso" deste grande atleta. Eu, que nunca duvidando da sua entrega, da sua capacidade de luta, duvidei, isso sim, das possibilidades dele "vencer" a juventude que desponta a olhos vistos na modalidade. Hoje, o Bruno deu um sinal clarissimo de que se encontra como uma lapa preso à ideia de continuar no topo do triatlo em Portugal e, por inerência, além fronteiras. É, são os jogos de Londres a luz no fundo do túnel, mas a eles apenas três atletas lusos (em homens) lá poderão chegar. Assim como o Duarte Marques, que dá voz à sua luta pelos mesmos palcos. E como esteve bem este olímpico, corolário do trabalho que tem desenvolvido, como prova o excelente 2º lugar alcançado no evento de atletismo das Lezirias, há bem pouco tempo realizado. Outra performance muito boa foi a que Pedro Palma protagonizou, também muito próximo dos da frente.A decepção terá sido mesmo o João Pereira, um pouco longe dos primeiros lugares e das expectativas naturalmente criadas à sua volta. Mas, ele vai lá. Outra pequena decepção terá sido a prova do João Amorim, mas acredito que tenha sido apenas um dia menos conseguido. Eu acredito neste rapaz.
Nas senhoras, também a confirmação do esperado; vitória da simpatiquíssima Anais Moniz. Porém, outra simpatiquissima mostrou que está a aproximar-se da sua boa forma. Refiro-me à Maria Areosa cujo esforço fê-la perder não demasiado tempo para a vencedora. Ainda bem para a competitividade neste sector, onde duas cadetes, e ambas do Alhandra, começam a saltar do pelotão para a frente da corrida. Vai ser muito interessante seguir a sua evolução. 

Por dentro do "povo", a mudança natural entre os lugares, fruto da entrada da natação nos desafios a superar. Reparo que ainda faltam alguns dos nomes fortes que nos habituaram a prestações formidáveis, independentemente da sua idade. São os casos do Carlos Gomes, do Oeiras, do Emanuel Marques, da Académica de S. Mamede. Por outro lado, e uma vez que os escalões estão sempre em mudança, ano após ano, o escalão V2 tem uma nova estrela: Rui Rodrigues, do Compeed Tri-Oeste. Do meu escalão resta-me apenas dizer que estão abertas as hostilidades pelos lugares cimeiros. Não vai ser nada fácil lá entrar. 

O meu Fonte Grada cumpriu o seu objectivo e quando assim é nada mais se poderá exigir. Claro, longe do 3ºL alcançado no Cadaval. Alpiarça serviu para render a passagem do testemunho aos triatletas.

Bons treinos e abraços triatléticos.

2 comentários:

sica disse...

Agora deixaste-me confuso, és tu que estás na foto a assistir à prova?
Como é que está a recuperação?

João Correia disse...

Isto só prova, se ainda fosse necessário, que as aparências iludem. Não, não sou eu, mas bem que poderia ser o moço marafado dos algarves, não fosse a careca. Ou não terá sido ele que foi "observar" a councorrãncia??
:))

Abraços, Sica, e sê feliz em Porto Santo.