Ocorreu um erro neste dispositivo

Ainda o Duatlo de Arronches.

02/03/11



(Fonte: arronchesemnoticias.blogspot.com)
Posso esclarecer? Esclarecerei...eu não estive lá. Nunca estive, aliás (como não estou em muitas das provas aqui por mim comentadas). Eu não li nada do que terá acontecido, não tive tempo. Por isso também escrevo tão tardio sobre o evento citado. Aparentemente, parece que a modalidade passou ao lado desta prova, mesmo considerando que estiveram presentes perto de trezentos atletas. 
Acontece que houve protagonistas dignos, em Arronches. A começar pelos vencedores, Bruno Pais e Anais Moniz, ambos do Benfica. Mas, não terá sido nada fácil bater o Miguel Arraiolos (Alpiarça), mas não só, no caso do Bruno. E se considerarmos que aqui há dois anos o Bruno dominava imperial as provas nacionais, hoje por hoje tem, e ainda bem, vários rivais. E um deles, assumido, a avaliar pelos resultados obtidos até então, é precisamente este rapaz que dá pelo nome de Miguel Arraiolos. Este jovem quer dizer alto e a bom som que está empenhado em ...convencer quem tem capacidade decisória de que pretende ir a...Londres 2012. E esta terá sido uma das coisas que este duatlo fez transpirar. Eu acredito que o Miguel Arraiolos, agora mais maduro, mais trabalhado, mais forte, portanto, vai ter uma época em grande. Já aqui disse; nos ultimos dois anos tem-se verificado que quem entra bem faz uma época em cheio. Acho que não estarei enganado. Depois, há por aí um conjunto de outros jovens (juniores e sub23) que poderão crescer muito neste e no próximo ano: Miguel Fernandes, João Serrano, José Estrangeiro, Hugo Ventura, Hugo Alves ... o João Amorim, por exemplo, fez uma excelente prova e atenção que o rapaz é muito forte no nado. O Bruno que se cuide.
A outra coisa que o duatlo terá dito é que vamos ter Anais este ano e muito provavelmente irá ser a grande figura feminina nacional na modalidade. E que falta faz uma rapariga assim ao sector. A corrida pode melhorar (o trabalho vai ter de continuar com qualidade), mas dominou a concorrência claramente e ainda lhe faltou a água, muito provavelmente o seu segmento mais forte. 
E já que falamos em senhoras, um registo interessante de participantes; 37 que concluiram, com muitos cadetes e juniores pelo meio. Sinal interessante.

Este duatlo registou várias ausências dos "habitués" da modalidade, a começar pelas, quiçá, maiores figuras do "nosso" triatlo  da actualidade, o João Silva e o seu homónimo, João Pereira. Mas outros destaques terei de fazer. Por exemplo, o regresso do António Moura ao lugar mais apetecido do pódium no meu escalão (V3)e em representação do meu clube, o Fonte Grada, pois claro. Destaco também o número de participantes nos escalões V4 e V5, ganhos por Fernando Feijão ( C.T. Fundão) e Carlos Leite (A.C.R. Ribeira), respectivamente, e com tempos muito bons.

E não tarda nada estão aí os triatlos e com eles a emoção genuína.

Abraços triatléticos, companheiros.

Sem comentários: