Ocorreu um erro neste dispositivo

O Meu Futuro!

07/04/11





Segunda-feira passada lá tive a tal consulta de ortopedia no Centro de Medicina Desportiva do Porto. Procurava uma nova esperança, procurava uma solução objectiva para os problemas que me têm afectado. Debalde, o médico, também ele corredor, disse-me textualmente "João, não tenho uma solução para si". Nada que eu já não desconfiasse, mas...tinha aquela esperança. E sem solução fiquei, tanto para o problema dos gémeos, como para o problema plantar do pé esquerdo. Ainda não me resigno. Vou novamente procurar ajuda na natureza, e aproveitar a época do ano em que nos encontramos, isto é, a água do mar e o sol, que sempre me têm valido quando isto empena. O triatlo não se concebe sem corrida. Eu próprio tenho dificuldade em me conceber sem correr. Portanto, vamos tentar resolver isto com calma e esquecer objectivos competitivos, metas de performance, vamos esquecer isso. Quando não há qualquer possibilidade de realizar uma época regular não se pode, em consciência, ambicionar mais, a não ser poder estar disponível para participar. Até porque ser atleta veterano tem destes riscos, apesar de nos pensarmos, com alguma legitimidade, que o tempo, embora tenha passado, ainda nos pertence. Mas não. De facto, à que encontrar o caminho adequado para que o treino e a prática competitiva não se nos afigure como mais um factor de ansiedade na vida, mas antes de equilíbrio psicossomático, no mínimo.

Uma vez mais, agradeço a todos os companheiros o apoio e o estímulo que aqui têm deixado.
Um abraço e vemo-nos numa qualquer prova de triatlo, seja ela qual for.  

4 comentários:

david caldeirao disse...

o que dizer!!! o futuro??? quem pode adivinhar o futuro, companheiro....,
vive o presente :-) esse sim é uma dadiva..., pensamento positivo, amanhã pensas no futuro :-)
forte abraço

Paulo Renato Santos disse...

já se tem visto tantos "impossíveis" que não podes desanimar!
por agora penso que deves adequar o treino às limitações que sentes e depois logo se verá...
se a fasquia dos objectivos tiver que ser mudada, o mais importante é estar bem com aquilo que somos.

forte abraço

sica disse...

Vamos lá, se for caso disso reequacionar a questão, o principio tu já o desvendaste existe vida e prática despotiva para lá da competição.
O que lá vai, lá vai não penses mais nisso, e tira proveito de ser um "veterano" numa forma invejável.
Amanhã será outro dia e quem sabe não recomeças a pensar novamente em objectivos competitivos.

Triatleta disse...

João,

Procura, uma solução, uma resposta final, mas não fiques com a dúvida.

Um abraço.