Ocorreu um erro neste dispositivo

Ecos da Maratona do Porto...

09/11/10



É francamente gratificante receber os incentivos e estimulos que aqui vão deixando todos aqueles que comigo vão partilhando as pequenas vitórias, as angústias, os avanços e os recuos, as conquistas e os desesperos desta vida desportiva que por vezes tendem a confundir-nos sobre as verdadeiras prioridades que nos devem orientar. Assim como registo com prazer as visitas que se sucedem sempre que me atrevo na redacção de uma crónica, em resultado de uma participação minha ou de um acontecimento triatlético. Ontem registei a maior afluência alguma vez verificada a este blog num só dia. E isso mereceu da minha parte algumas conclusões. 
De tempos a tempos, à que reflectir no sentido de hierarquizar as verdades da nossa vida e voltar a determinar o azimute, sob pena de nos afastarmos demais da nossa real direcção. Sendo essas palavras, aqui deixadas, de alto reforço da auto-estima e auto-confiança,  terão de servir para nelas nos inspirarmos e delas voltarmos a partir para novos horizontes, novos desafios, ou tão só a redefinição dos mesmos, mas sempre no pressuposto de que nada é definitivo. E sendo tudo relativo, também a importância daquelas pequenas vitórias se reduz à sua insignificância quando a realidade nos cai nos braços, se pela televisão adentro nos apercebemos de como o mundo pode ser terrivelmente injusto ou quando mesmo ao nosso lado o desacordo leva as pessoas a desencontrarem-se dos seus objectivos e propósitos que ontem eram comuns, mas hoje já não, acabando por castigar os inocentes e a sua ingénua ideia de que viver é perfeito. Só para citar dois exemplos.
 Mas, o verdadeiro motivo desta retoma ao tema é a necessidade de escrever sobre o meu agradecimento pela força que os vossos comentários (e também as vossas visitas) me dão. E como disse no blog de um companheiro nosso "palavras fortes geram emoções fortes". Obrigado!
Um outro agradecimento que se me impõe e que no domingo me escapou, tal a oxidação no meu raciocínio, é aquele que devo em primeiro lugar aos médicos ortopedistas que me operaram e acompanharam antes e após o debelar da lesão, processo sem o qual jamais haveria maratona para mim, a saber e nunca é demais repetir: D. Helder Pereira e Dr. João Nunes. Em segundo lugar, agradecer novamente ao Fisioterapeuta Diogo Cardoso, bem como às suas colaboradoras também elas Fisioterapeutas, toda a sua entrega e preocupação na resolução de todo o manancial de queixas que se sucedem em razão directa dos meus sonhos. Um dia destes proíbem-me de sonhar (imaginem quem).
Estando de férias, não mais fiz qualquer actividade física que justifique essa classificação. Apenas uns alongamentos para dar o exemplo aos "meus miúdos". Estranho esta sensação de ter mais tempo para nada fazer ou procurar fazer algo para o ocupar. Não que não tenha imensas coisas em atraso para agora as poder organizar. É sobre a sensação que falo. Mas, como a cabeça não pára e ainda bem, alguém já considerou a possibilidade duma ida a Barcelona, 6 de Março, para a Maratona local? (risos)Pois é. É isto que agora faço; antever mentalmente o que pode ser o ano 2011 em termos de participação em eventos desportivos e começar a engendrar uma estratégia para fazer o que se gosta com o mínimo prejuízo das re(a)lações familiares e das finanças, e já agora da integridade física e mental. Numa coisa estou certo: 2011 evento prioritário será Ironman 70.3 (acho que agora não estarei a cometer nenhuma gafe referindo-me ao triatlo longo, certo?). Tudo o resto lhe estará subordinado. Eu sei que tenho aí um (bom e verdadeiro) amigo que me desafia amiúde para a cabeça do Touro. Cada coisa a seu tempo, de modo a ser assimilada pelo corpo e pela própria consciência que a mente fará das capacidades dos dois. Sei que esse desafio é assumido com base na confiança de que eu o conseguirei alcançar. E agradeço esse depósito de confiança. No entanto, nada deve ser feito sem antes partir de nós a tomada de consciência dessa consciência; com o trabalho de casa feito, avaliando cada etapa do seu desenvolvimento. E realmente não há impossíveis; com trabalho e alguma sorte, não há. Assim foi com a minha preparação e sequente participação  na maratona do último fim de semana. Por isso a designei corpo vs mente.

Abraços triatléticos, companheiros!



2 comentários:

Pedro Brandão disse...

MAis uma vez é uma delicia ler os teus posts amigos. Estamos com objectivos em comum. O meu será o longo de Lisboa a 30 de Abril de 2011 e o de Maio logo a seguir em Aveiro. Penso que andarão com menos de 1 mês de diferença. Será um teste muito bom para o IM. É um sonho terminar uma coisa destas amigo. Espero poder contar contigo para esta aventura. Plano de treino já há....

Henrique disse...

olá João,
parabéns pelo teu excelente desempenho na maratona do Porto.
Corroborando o Pedro, o nosso próximo grande objectivo será o half de Lisboa. Temos que treinar bem pois esse triatlo longo não é tarefa fácil.
abraço
henrique