Ocorreu um erro neste dispositivo

Reflexão III

16/11/10



Desde o momento em que aderi, em boa hora, diga-se, e ainda que considerando a elevação dos meus gastos e consequente delapidação das minhas economias, à modalidade desportiva Triatlo, que me fui apercebendo da existência de gente de bem, muita gente de bem. Não digo que também não haja em muitas outras vertentes da nossa vida gente assim, que concerteza e graças a Deus haverá, mas concretamente no triatlo há efectivamente muita gente de bem. Como em tudo, há-os menos "bem" e até os "ranhosos", mas tratando-se de pessoas isso é perfeitamente normal. Acontece no trabalho, acontece, nos clubes, acontece em todos os lados, até acontece na família. Portanto, será uma inevitabilidade. Todos diferentes, todos iguais, é verdade. A questão é que sendo uma actividade, a da prática desportiva, de puro prazer, mesmo que para o obter se tenha de sofrer alguma coisa pelo meio, seria de todo aconselhável que se estivesse num ambiente francamente positivo, sob pena de se desvirtuarem todos os propósitos que levam à sua incorporação na nossa vida. É um dado adquirido que em triatlo tem sido muito gratificante conviver com muita gente nova e menos nova, mas todos de bem; de bem consigo, de bem com os outros, de bem com a vida.
Daí que a páginas tantas me tenha apercebido que se estaria a germinar uma nova Família no conjunto das famílias que fazem parte da minha/nossa vida: a família triatlética. É verdade. Cada família terá as suas caracteristicas, mas todas elas têm alguns predicados comuns: a identidade, os propósitos, os princípios. Será como o padrão genético - o genoma da família. E também no triatlo me tenho apercebido que as pessoas com quem tenho vindo a conviver apresentam aquelas caracteristicas que fazem de nós um família. Com variantes, obviamente, mas insuficientes para não fazerem parte desta "nouvelle" família. Alguns serão irmãos, uns mais próximos, outros nem tanto. Outros primos, primeiro grau. Segundo grau também os haverá. Outros tios, enteados, padrinhos, enjeitados...será que haverá um pai e uma mãe? Não tem de ser exactamente assim, mas que se trata de uma família, não tenho dúvida alguma.
E por isso eu sinto Orgulho, muito orgulho, nesta família. Orgulho na sua dedicação a uma causa, no seu entusiasmo. Orgulho porque não atropelam ninguém para o alcance dos seus objectivos, permanecendo fieis aos bons princípios que os acompanham. Orgulho porque são exemplos de disciplina. Orgulho porque conseguem conciliar esta família com a sua família, trazendo-os com frequência para a partilha das emoções. Orgulho porque estão sempre disponiveis para integrar um novo elemento, acarinhando-o, exaltando-o ou confortando-o, protegendo-o. Orgulho porque é uma família sem fronteiras, que acolhe novos e menos novos, de norte a sul, leste a oeste, sem reservas físicas ou psicológicas, onde cada um tem o seu próprio espaço.  Orgulho porque partilham os êxitos e os inêxitos.
Com o evento do Porto, senti uma espécie de irmandade em torno dos objectivos de todos nós, como se no final tivessemos feito uma larga roda, e abraçados, tivessemos festejado os êxitos de todos e de cada um, e carpido todas as dores.
A minha expectativa é que a família se vá alargando, sem comprometer a sua identidade.

Um enorme abraço para a Família.

5 comentários:

david caldeirao disse...

a isto chamamos a TRIBO do TRIATLO..., e acredita que é assim no nosso cantinho e no mundo inteiro!!!

Jorge disse...

João, boa tarde!
Este escrito parece nada ter a ver com o teu post, mas deixo-te o desafio: vê se consegues vir ao II Trail de Conímbriga/Teras de Sicó.
É uma agradável surpresa.
Dia 27 de Fevereiro de 2011.
Se fores ao nosso http://cluvecoimbra.blogspot.com já lá encontras toda a informação.
Sexta em Coimbra, para, finalmente nos conhecermos.
Um abraço e até lá.
jorge loureiro

Pedro Brandão disse...

Oi amigo João. É tudo verdade. É realmente uma familia. Ainda por cima no Porto onde as pessoas são mais "quentes". Viva ao triatlo.

sica disse...

Vamos lá então ao genoma comum:
Disciplina, Perserverança, Teimosia, focalização e um gosto enorme pela prática desportiva e alcançar novos desafios.
Outras haverá para completar este puzzle.
Espero que no dia 12 de Dezembro a familia se reúna a Montemor.

Triatleta disse...

É isso aí meu irmão!!!

:-)))