Ocorreu um erro neste dispositivo

Neuroma de Morton

26/11/10



É muito provável que o problema que vem afectando a planta do meu pé esquerdo,  há algum tempo a esta parte, tenha esse nome, citado em epigrafe e digno de um verdadeiro atleta qualquer. Dispensava, mas o pé não está de acordo e terei de lhe fazer a vontade. Ainda não é certo que se trate daquele problema, uma vez que falta completar o diagnóstico. De acordo com as queixas apresentadas, também poderá tratar-se de fractura de stress. Mas, relacionando as queixas com os sintomas, ainda os factos conhecidos e a pesquisa cá em casa realizada, tudo aponta para aquilo: Neuroma de Morton. A ressonância magnética, mais uma, acompanhada de ecografia à região lesada, irão despistar todas as dúvidas. Será a conclusão do diagnóstico. Uma vez mais, estou nas mãos do Dr. Helder Pereira. Não estaria melhor acompanhado, asseguro-vos.
E se vos trago aqui este "sujeito", seu neuroma, é porque vos poderá vir a ser útil alguma da informação que passarei a partilhar convosco.

Descrição do Neuroma
O Neuroma de Morton é um tumor de origem benigna, localizado ao nível de um dos nervos interdigitais do pé, nervos esses responsáveis pela transmissão das sensações dos dedos que inervam. Na verdade, não será tanto um tumor, antes um espessamento do tecido que envolve o nervo. Segundo o resultado das pesquisas, também poderá ser apelidado por neuroma interdigital, neuroma metatársico ou ainda neuroma do antepé. Normalmente, esta inflamação ocorre entre o 3º e 4º metatarso, mas também poderá ocorrer entre o 2º e 3º metatarso (parece-me ser o meu caso) ou até entre outras inervações do metatarso, mas com menor incidência. Acima de tudo, está dependente da afectação da região do metatarso perante as acções contínuas de pressão/stress a que a região fica sujeita, aumentando assim a sua compressão nervosa.
As pessoas mais sujeitas ao aparecimento desta patologia são os corredores, devido à sobrecarga da região metatársica, pela acção biomecânica propulsora decorrente do acto de correr, mas também as mulheres, devido ao uso sistemático de sapatos estreitos e com tacão alto. Pessoas com excesso de peso também têm um prevalência considerável no aparecimento desta patologia, pelo consequente aumento da pressão na zona referida.
Os sintomas são variáveis, mas incidem especialmente no aparecimento de uma dor ardente na zona metatársica, que irradia por vezes para o membro inferior. Normalmente também surge dormência na zona lesada ou sensações de choques eléctricos na base dos dedos afectados. Com a continuação, dá-se-nos a ideia estranha de que se está a pisar uma pequena bola mole, como se de um corpo estranho se tratasse.
O tratamento pode abranger várias soluções, consoante as necessidades do paciente. No meu caso, ou no nosso caso, parece-me haver uma e única solução (tratando-se efectivamente desta "a lesão"): uma pequena cirurgia para a remoção do respectivo neuroma.

Deixo-vos este pequeno vídeo, exemplarmente concebido em modo animado e extremamente elucidativo e preservador de personalidades mais sensíveis. Para estes, uma busca no "yu tubi" apresentar-vos-à uma cirurgia "à séria". 

Um abraço e até breve.


2 comentários:

Joan Bofill disse...

Espero que no se trate de un neuroma de morton , a mi me fastidió michísimo y lo pude resolver con fisioterapia, pero sufrí mucho dolor físico y psicológico.

FUERZA

João Correia disse...

"Gracias" pelas tuas palavras, Joan. Em princípio, será resolvido com uma pequena cirurgia (se se tratar de facto desse problema).

Forte abraço.