Ocorreu um erro neste dispositivo

Vanessa Fernandes Põe (este ano) Ponto Final na Carreira!

03/02/11



Vale a pena aqui recordar o que até hoje fui escrevendo sobre esse "mistério" da nossa medalha de prata de Pequim.

1º comentário, efectuado a 6.04.2010, na etiqueta Treino, sob o tema "Overtraining-Part I":
"A razão da apresentação do vídeo da declaração da nossa grande Vanessa Fernandes, que encontrei por acaso no sítio da RTP, um destes dias, não pretende concluir nada relativamente ao que a Medalha de Prata em Pequim afirma. Tenho para mim próprio uma opinião, que não irei divulgar, por razões éticas, por respeito e dignidade, e porque essa opinião carece do contexto próprio que obrigatoriamente deve ser tido em conta na análise da situação. E também, porque "quem sou eu?" No entanto, e ouvindo o que a Vanessa Fernandes diz, bem que se poderia tratar de um caso de overtraining, assim, descontextualizado."

2º Comentário, efectuado a 22.06.2010, na etiqueta Crónicas, sob o tema " Clássica Ciclismo Póvoa de Varzim/Terras de Bouro":
"...No final, deu para trocar umas palavras, em grupo de convivas, com ele* sobre o momento da Vanessa. Não vou divulgar, nem comentar. Ainda assim, ficam com uma ideia: a Vanessa já era. O futuro dirá se estarei ou não certo. Cá hei-de vir sobre isso falar quando oportuno for."
* referia-me ao pai da Vanessa Fernandes, Venceslau Fernandes

Hoje, enquanto cumpria o meu treinito de corrida e ia em sintonia com as notícias do rádio, cai a bomba, que em mim nada surpreendeu: Vanessa Fernandes, a nossa admirada e idolatrada triatleta, havia decidido abandonar a carreira de triatlo. Pelo menos para já. Razões apontadas: saúde. Mais tarde ouvi alguém ligado ao seu clube dizer, especificando,  que as razões de saúde seriam do foro psicológico. Cansaço. É verdade; também são, embora muitas vezes desvalorizadas. E, claro! veio-me logo à cabeça o que me tenho apercebido, dentro do possível de quem está por fora; a Vanessa já era. Custa-me dizer isto, mas a verdade é que quando a triatleta quiser, já não irá poder viajar na locomotiva do comboio. Numa carruagem próxima, mas jamais ali.
É a minha convicção. A outra convicção que agora assumo em pleno é que a razão do seu cansaço prende-se com esse fenómeno do Overtraining, que por vezes bate à porta dos atletas, também dos melhores.

No entanto, tenho esperança que a triatleta de excepção que demonstrou ser possa encontrar o seu caminho de felicidade, seja ele praticando este ou outro desporto, ou fazendo outra coisa qualquer que lhe seja útil e que lhe dê a satisfação que a dureza dos treinos parecem não lhe estar agora a dar. Afinal, são tantas as maneiras de que dispomos para encontrar a felicidade!...

Bons treinos!


1 comentário:

MPaiva disse...

Tudo o que aconteceu com a Vanessa Fernandes desde Pequim até hoje é verdadeiramente impressionante. Quem pensa que ser um atleta de alta competição implica apenas ser dotado de excepcionais qualidades físicas e apurá-las ao máximo está bem enganado.
O ser humano é muito mais complexo do que isso e este caso (já tivemos Mamede, embora numa outra dimensão) é bem o espelho disso.

abraço
MPaiva