Ocorreu um erro neste dispositivo

A 3ª Etapa do CN Triatlo Longo.

01/06/10




A etapa era decisiva? Era, bastava que Pedro Gomes (Olímpico de Oeiras) estivesse, já não digo no seu melhor, mas regular. Mas, o atleta esteve mais que normal, esteve muito bem, alcançou a sua primeira vitória individual da época, valorizada ainda pela presença de outro nome grande, Sérgio Marques (Águias de Alpiarça), numa prova também ela internacional, realce-se, vitória que já perseguia a algum tempo, e que fez dele o Campeão Nacional de Triatlo Longo, época 2010. Parabéns, Pedro! Paralelamente, está muito bem lançado para se sagrar Campeão Ibérico nesta variante de triatlo. E parabéns também para a Vanessa Pereira (Compeed Tri-Oeste), que no sector feminino ganhou com claro à-vontade.

O outro facto significativo desta prova, a que já tinha aludido na edição da previsão do tempo para a mesma, foi a participação das gentes do triatlo. É, na minha opinião, a aposta que efectivamente a Federação ganhou este ano: a criação do Campeonato Nacional de Triatlo Longo por etapas. É sem dúvida uma iniciativa feliz, até porque vai ao encontro das expectativas de evolução que os próprios atletas sentem; novos desafios em função de igualmente fortes investimentos pessoais e dos clubes, nalguns casos. Outra aposta, a criação do Campeonato Porterra, considero menos feliz. Mas, sobre estas e outras "coisas", falarei no final da época, altura ideal para os balanços. Agora, é motivo de satisfação verificar que 154 atletas concluíram uma prova cujas exigências  físicas e psicológicas são bastante exigentes. Estão todos de parabéns, sem excepção.

Na sexta-feira passada lancei o desafio de antecipar o vencedor na prova, especificamente no escalão V2. Este foi escolhido não pelo facto de ser o meu escalão, e por essa razão olhar para ele com particularidade atenção, mas porque este ano, e já referi esse aspecto em outras crónicas, existe uma competição muito interessante, nalguns casos frenética, numa faixa etária cujas idades se situam entre os 45 e os 49 anos. Aliás, as performances são de tal nível que os melhores do escalão, na classificação geral, ficam muitíssimo bem colocados. E para isso acontecer não tenho dúvidas de que se malha o corpo e de que maneira. É evidente que estas transformações fisiológicas, especialmente, não são obra da espontaneidade, como se no outro dia de manhã acordássemos em plena forma porque no dia anterior foi feito um treino fantástico. São fruto, isso sim, de uma vida ou um período de vida com uma história desportiva; leia-se treino/método, trabalho, dedicação,   nutrição, conhecimento. Mas, voltando à sondagem proposta, os votos andaram à mingua, mas todos indicaram o nome do Carlos (Gomes, Oeiras SC) como potencial vencedor. E acertaram todos.  

Último facto que desejo realçar, é que nesta variante de triatlo são os maduros que comandam a batuta: o primeiro sub23 aparece no 42º L. Aliás, no total, os sub23  participantes somaram 6 atletas. É compreensivel; a malta nova é mais nervosa, mais explosiva, e procura os desafios que projectam mais longe o seu nome. Ao invés, os tais maduros gerem melhor a experiência, correm atrás de uma juventude perdida e olham melhor para os desafios que exigem um sacrifício longo e duradouro.

Hoje não irei particularizar mais resultados. Apenas dizer sobre isto que o pessoal anda a trabalhar bem, nalguns casos muito bem. Não deixo de reparar em algumas evoluções. Procuro sempre adivinhar onde me colocaria, mas é um exercício em vão, porque cada prova tem a sua estória e só mesmo in loco é que se tiram dúvidas, todas a dúvidas.

Time Out! Altura de descansar. Bons treinos.

5 comentários:

sica disse...

Para quando o regresso?
Vila Viçosa,um Olimpico com um ciclismo em linha, é capaz de ser uma boa oportunidade.

sica disse...

Tinha-me esquecido de deixar o reparo, para correção 65-69 anos, ou 45-49 anos, 20 anitos pode não parecer mas faz alguma diferença :)

João Correia disse...

;)) Sem desculpas, Sica. De facto, querer tocar muitos burros ao mesmo tempo dá nestes deslizes. Sobre o regresso, falarei amanhã (se não estiver demasiado cansado, vejamos). E tu acho que estiveste muito bem na corrida, em especial. Os meus parabéns.

Miguel Andrade disse...

Sempre em grande nos resumos das provas!

E falo por mim como sub23 desejo sempre novas aventuras não por causa de classificações mas por saber que consigo acabar uma prova como esta e isso dá-me um gozo enorme!

João Correia disse...

Estou contigo nos objectivos, Miguel. É óbvio que a superação pessoal é algo que nasce intrinsecamente, fruto do trabalho em que vamos investindo muito do nosso esforço, mas é bom não esquecer a origem das coisas: desfrutar. Os prémios e os lugares de destaque, isso é para quem tem tempo e condições para se dedicar em regime total. Se pelo meio conseguirmos algumas flores, é um estimulo forte, mas nunca baixar os braços se não acontecer, porque é o mais natural.
Grande abraço, Miguel, e parabéns pelas tais flores que conseguiste em Aveiro. É o tal estimulo que te vai fazer sorrir nos treinos que se seguem.